Benefícios

Reforma da previdência – O que mudou?

A reforma da previdência foi uma mudança considerada surpresa, que pegou milhares de brasileiros desprevenidos e que ainda causa uma série de dúvidas.

Pensando nisso, aqui vamos apresentar as mudanças que você precisa conhecer, para saber como elas podem impactar no seu futuro.

Vale destacar ainda que existem regras diretas para trabalhadores que atuam no setor público e privado, uma divisão que não é tão nova assim, mas que faz total diferença.

Vamos lá?

1# Idade Mínima

Uma das mudanças mais significativas da reforma da previdência se refere a idade mínima para aposentar. Sendo que era conhecido a idade de 65 anos para homens e 60 para mulheres.  Devido a mudança, a idade mínima dos homens não teve alteração, mas as das mulheres passou a ser 62 anos.

Isso sempre que se trata do setor privado ou privado. Entretanto, existem casos específicos em que a idade muda. Por exemplo, para o trabalhador rural, a idade mínima é de 55 anos para mulher e de 60 anos para homens.

Já para os policiais, tanto homens quanto mulheres devem ter, ao menos, 55 anos. Professores devem ter 57 anos as mulheres de 60 anos os homens.

Essa mudança referente a alguns casos específicos ocorre porque entende-se o impacto da profissão na saúde física e mental.

2# Reforma da previdência e o tempo de contribuição

O tempo de contribuição é um dos setores da previdência que teve um grande impacto com a reforma.

Para entender melhor, pense que antes, era possível escolher entre ser um aposentado por idade ou tempo, desde que você tivesse a idade mínima.

Dessa forma, era preciso ter uma contribuição mínima de 15 anos, fosse homem ou mulher.

Já para quem quisesse se aposentar sem ter a idade mínima, deveria ter contribuído por, ao menos, 30 anos para mulheres e 35 para homens.  Entretanto, agora isso mudou.

Em termo simples, quem é do setor privado não pode se aposentar mesmo quando alcança a idade mínima,

Vale dizer ainda que para homens que ainda não entraram no mercado, precisam contribuir por 20 anos e não o tempo mínimo, que é de 15, válido para quem já está no mercado.

Para o setor público, a regra também muda.

Neste caso, o tempo mínimo de contribuição é 25 anos.

Importante

Com a reforma da previdência, mudou também o formato de contabilizar o tempo.  Agora, são considerados apenas meses completos, independentemente do número de dias que de fato foram trabalhados.

Para essa contagem, considera-se todos os trabalhadores que ganham R$ 1.045, em 2020, ou mais.

3# Calculando a aposentadoria

Outra mudança que surgiu com a reforma da previdência se refere ao cálculo dos recebimentos da aposentadoria.  No setor privado, não era considerado 20% de todas as contribuições mais baixas, o que aumentava de maneira significativa o valor a ser recebido mensalmente.

Entretanto, agora, mesmo as contribuições mais baixas serão contabilizadas, logo, todo o histórico de recebimentos passa a valer.

Outra mudança no cálculo se refere ao tempo mínimo. Em síntese, assim que alcançar o tempo mínimo, os trabalhadores já podem receber até 60% do valor integral. Sendo que, a cada ano a mais, essa porcentagem sobe dois pontos.

Já para ter direito ao total da aposentadoria, é preciso a contribuição de 35 anos para mulheres e 40 para homens. Já para o setor público, o esquema fica bastante parecido.

Assim, o mínimo de 60% da aposentadoria integral pode ser alcançado com o tempo mínimo de 20 anos de trabalho, para homens e mulheres. Ao mesmo tempo, a cada ano a mais de trabalho, essa porcentagem sobe dois pontos.

Por outro lado, isso só é válido para quem começou no setor público a partir de janeiro de 2004.

4# Regras de transição da reforma da previdência

Outra mudança significativa para quem quer se aposentar se refere as chamadas regras de transição, que, no total, são cinco.

Em resumo, as regras se referem aqueles que já estão no mercado, para quem seja possível aposentar antes das idades definidas na reforma. Neste caso, o trabalhador teria o direito de optar por aquela opção que fosse mais vantajosa.

É importante destacar que essas regras envolvem:

  •  1 – Sistema de pontos;
  •  2 – Tempo de contribuição e idade mínima;
  •  3 – Pedágio de 50%;
  •  4 – Por idade;
  •  5 – Pedágio de 100%.

Importante

Existem ainda outras mudanças da reforma e até algumas questões que ainda estão sendo melhores explicadas.
Por isso, vale a pena ficar de olho aqui na página e em outros sites confiáveis de notícias.

Por fim, você ainda tem alguma dúvida ou gostaria de saber mais sobre o tema?

Comenta aqui embaixo ou aproveite para compartilhar a sua experiência com nossos leitores.

Grande abraço e até o próximo post!

Voltar ao Topo