Energia

Raízen entra oficialmente com pedido de IPO

Raízen

/energiaA empresa brasileira de energia Raízen, uma joint venture entre a Cosan SA (CSAN3.SA) e a Royal Dutch Shell PLC (RDSa.L) , escolheu quatro bancos de investimento para administrar sua oferta pública inicial, que deve ser uma das maiores neste ano, levantando até 13 bilhões de reais (US $ 2,25 bilhões), disseram quatro pessoas familiarizadas com o assunto na segunda-feira.

Raizen escolheu Banco BTG Pactual SA (BPAC3.SA) , Bank of America (BAC.N) , Citi (CN) e Credit Suisse AG (CSGN.S) para serem os principais bancos na transação, e espera-se adicionar mais ao sindicato esta semana, acrescentaram as fontes, pedindo anonimato para divulgar conversas privadas.

Raízen, Citi e Credit Suisse não quiseram comentar o assunto. O BTG e o BofA não responderam imediatamente a um pedido de comentários da Reuters.

A Raízen, maior produtora de açúcar do mundo, também controla uma grande rede de distribuição de combustíveis e é a quarta maior empresa brasileira em receita, atrás da estatal Petróleo Brasileiro SA, conhecida como Petrobras (PETR4.SA) , a mineradora de minério de ferro Vale SA (VALE3 .SA) e o frigorífico JBS SA (JBSS3.SA) .

A Raízen deve ser listada na bolsa de valores brasileira B3, disse uma das fontes, e pretende concluir a transação em junho ou julho.

A Cosan, um grupo de energia, divulgou no início deste mês que sua joint venture com a Shell estava sendo preparada para uma listagem antes da flutuação planejada de duas outras empresas que controla, com o objetivo de levantar capital e financiar crescimento.

A joint venture adquiriu recentemente a Biosev SA (BSEV3.SA) , outra empresa de açúcar e etanol, da Louis Dreyfus em um negócio à vista.

Como parte do negócio, os acionistas da Biosev receberão 3,5% das ações preferenciais da Raízen, mais 1,49% das ações resgatáveis.

Uma das fontes disse que o Raízen pode ser avaliado em até 100 bilhões de reais (US $ 17,3 bilhões).

Raízen é um dos concorrentes às refinarias que a Petrobras colocou à venda. Licitou a refinaria REPAR, no sul do Paraná, mas o processo foi cancelado e a Petrobras deve relançá-lo. consulte Mais informação

($ 1 = 5,7850 reais)

Voltar ao Topo