Novidades

EDP se junta ao Santander em geração distribuída

A EDP Smart, braço de soluções em energia da EDP Brasil, fechou uma parceria com o Santander Financiamentos para oferecer uma linha de crédito mais competitiva para aquisição de painéis fotovoltaicos e instalação de projetos de geração distribuída. A intenção de ambos é acelerar o crescimento desses projetos antes que uma mudança esperada nas regras imponha dificuldades aos investimentos.

“O investimento para o consumidor é alto. Com a parceria, vamos dar facilidade de pagamento em nossa oferta”, disse Nuno Pinto, diretor de negócios B2C (destinados a consumidores) da EDP Brasil. Nesse contexto, a companhia vai lançar, em breve, uma campanha junto ao Santander para fomentar o produto dentro de suas áreas de concessão de distribuição de energia, no interior de São Paulo e no Espírito Santo.

Em projetos de geração distribuída, os consumidores investem na geração própria, que pode ser local, como na instalação de painéis solares no telhado de residências, ou de forma remota, com a construção de fazendas solares dentro da mesma área de concessão. A energia gerada e não consumida na hora é injetada na rede e transformada em descontos na conta de luz.

Para que a tomada de decisão dos consumidores seja mais rápida e os negócios possam avançar em ritmo acelerado, a análise de crédito será facilitada, e as transações serão 100% digitais. As linhas de crédito vão partir de juros mensais de 0,79%, com prazo de até 60 meses. O custo é menor que a linha voltada para geração solar distribuída anunciada ano passado pelo banco, com juros a partir de 0,99%. Outra mudança é que, na parceria, o consumidor de energia não precisa ser cliente do Santander.

“A EDP já tem a estrutura comercial grande na distribuição de energia, assim como o contato com o cliente”, disse André Novaes, diretor do Santander Financiamentos. Com a parceria, os representantes da EDP poderão também oferecer o financiamento, por meio de um aplicativo que faz o contato direto com o banco. “Ter uma empresa com o porte da EDP como parceira dá mais credibilidade e qualidade aos negócios”, disse Novaes.

Com a iniciativa, o banco espera aumentar ainda mais sua presença em financiamentos de energia solar. Segundo Karine Bueno, diretora de sustentabilidade do Santander Brasil, desde 2015, o banco já financiou cerca de R$ 1 bilhão em geração distribuída solar fotovoltaica. No ano passado, o banco desembolsou R$ 251 milhões em crédito do tipo. “Em 2019, só até agosto já desembolsamos R$ 370 milhões, e o número vem crescendo ano a ano”, disse a executiva.

Para a EDP, a expectativa é que sua presença no setor de geração distribuída solar também se fortaleça. A EDP Smart foi lançada em maio deste ano, como parte de um reposicionamento do setor de serviços para clientes residenciais.

Segundo Nuno Pinto, num primeiro momento, os esforços comerciais se darão dentro das áreas de concessão da EDP São Paulo e da EDP Espírito Santo. “A tendência é que passemos a oferecer em outras regiões, mas queremos primeiro aproveitar as sinergias em nossa área de concessão”, disse. A primeira expansão pode ser em Santa Catarina, onde a EDP é sócia da estatal Celesc. “Temos vontade de entrar naquele mercado também”, completou.

Voltar ao Topo