Petróleo

Albacora da Petrobras atrai pelo menos três compradores

gas petrobras

Os campos de petróleo da Petrobras em Albacora, no Brasil, devem atrair pelo menos três compradores, apesar do atraso de quase um mês para que as partes interessadas finalizem suas ofertas, disseram à Reuters quatro fontes com conhecimento do assunto. 

A Petróleo Brasileiro SA, como a Petrobras é formalmente conhecida, vem vendendo dezenas de ativos, desde refinarias a oleodutos, em uma tentativa de reduzir sua pesada dívida e aumentar seu foco na produção de petróleo em águas ultraprofundas.

Os campos de Albacora e Albacora Leste, que estão sendo vendidos juntos, estão entre os ativos mais cobiçados que a Petrobras colocou no bloco. Juntos, eles provavelmente serão o maior desinvestimento da empresa desde 2017, quando a produtora estatal de petróleo concordou em vender uma participação em seu campo de Roncador para a Equinor ASA da Noruega por US $ 2,9 bilhões.

Há pelo menos três partes propensas a apresentar uma oferta vinculativa pelos campos de petróleo, disseram as fontes.

Um consórcio é composto pela Talos Energy Inc, empresa de private equity EIG Global Energy Partners, Enauta Participações SA e 3R Petroleum Oleo e Gas SA, disseram as fontes.

Outro consórcio é formado pela PetroRio SA, sediada no Rio de Janeiro, e pela Cobra, unidade da francesa Vinci SA.

A australiana Karoon Energy Ltd submeteu uma oferta não vinculativa no início do ano, uma pré-condição para a apresentação de uma oferta vinculativa, disseram as fontes. A empresa tem procurado um parceiro financeiro para a fase final do processo de venda, acrescentaram.

Os campos de Albacora produzem cerca de 77 mil barris de óleo equivalente por dia, conforme edital de licitação divulgado pela Petrobras. Embora os valores exatos das próximas licitações não sejam claros, os ativos devem render bilhões de dólares, disseram as fontes.

A Reuters havia informado anteriormente sobre o interesse do consórcio Talos. Posteriormente, os meios de comunicação locais informaram sobre o interesse dos consórcios concorrentes. O atraso não foi relatado anteriormente.

Petrobras, EIG, Enauta e 3R não quiseram comentar. PetroRio, Talos e Cobra não responderam aos pedidos de comentários.

Em entrevista à Reuters na semana passada, o presidente-executivo da Karoon, Julian Fowles, confirmou que a empresa estava procurando Albacora e Albacora Leste, mas disse que precisaria fazer uma oferta com um parceiro devido ao tamanho do ativo. Ele se recusou a dar mais detalhes, citando a confidencialidade do processo de venda.

As ofertas vinculativas deveriam originalmente ser feitas na segunda-feira, mas o prazo foi adiado para 9 de agosto, pois os compradores em potencial pediram mais tempo para examinar os ativos e estruturar suas ofertas, disseram as fontes, que pediram anonimato para discutir assuntos confidenciais.

Tais atrasos são bastante rotineiros para os desinvestimentos da Petrobras, devido à natureza jurídica e tecnicamente complexa dos processos de venda da empresa.

Voltar ao Topo