Economia

Real se manterá próximo dos níveis, apesar da fraca economia no Brasil

O real do Brasil continuará sendo negociado próximo aos níveis pré-pandemia nas próximas semanas, ainda em uma onda de sentimento positivo que está em forte desacordo com a piora das condições econômicas no país sul-americano, uma pesquisa da Reuters mostrou.

A moeda brasileira registrou seu melhor trimestre em 13 anos nos primeiros três meses de 2022, com valorização de 17,5%. Começou o segundo trimestre com força e deve manter a sequência de vitórias no curto prazo.

No entanto, o desempenho do real está divergindo de uma economia que continua decepcionando. Um aumento acentuado nas taxas de juros está prejudicando a atividade econômica, mas não consegue conter significativamente a alta inflação.

De um total de 10 analistas que responderam a uma pergunta qualitativa separada na pesquisa, seis viram os riscos para o real inclinado para cima, enquanto três os viram inclinados para baixo e um foi neutro – o equilíbrio mais otimista em pesquisas recentes.

As previsões numéricas foram mais cautelosas, mas também relativamente otimistas, apontando para uma queda superficial de 1,3% em um mês, para 4,72 reais por dólar americano, de 4,66 reais na quarta-feira, de acordo com a estimativa mediana de 21 estrategistas de câmbio consultados de 4 a 6 de abril.

A pesquisa mostra que a moeda brasileira agora deve desvalorizar 10,8% para 5,22 reais em 12 meses, com o crescimento anêmico do Brasil, temores sobre o resultado das eleições em outubro e outras questões eventualmente compensando o impulso.

Pouco antes do início da pandemia, a moeda mudou de mãos em torno de 4,20 reais por dólar.

“O nível das taxas de juros e o vento positivo das commodities, em meio a uma redução significativa dos prêmios de risco-país em relação ao ano passado, explicam o movimento em reais”, escreveram analistas do JP Morgan em relatório recente.

Eles elevaram sua estimativa do segundo trimestre para o real de 5,30 para 5,00, mas acrescentaram: “enquanto achamos que o real pode continuar bem sustentado em torno dos níveis atuais, nossos modelos de avaliação começaram a indicá-lo em território caro”.

O peso mexicano, que foi negociado a 20,034 por dólar na quarta-feira, deve continuar oscilando dentro de sua faixa pós-pandemia de 20,00-21,00, perdendo lentamente 2,7% no próximo ano para 20,60.

A moeda mexicana vem sendo negociada de forma estável desde que voltou aos níveis pré-pandemia logo após o golpe inicial da crise da saúde. No primeiro trimestre deste ano, ganhou 3,2%, quase indiferente ao impacto da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Voltar ao Topo