Offshore

Petrobras assina SBM Offshore para quarto FPSO

A Petrobras assinou uma carta de intenções com a SBM Offshore para o afretamento de um quarto FPSO para o campo de águas ultraprofundas de Mero na área do pré-sal de Libra offshore do Brasil.

A SBM Offshore projetará e construirá a plataforma com base em sua abordagem Fast4Ward, que combina um casco de flutuador multiuso (MPF) recém- construído com módulos de topsides padronizados.

Este será o quinto casco MPF da empresa: o FPSO deve ser concluído em 2024.

O Alexandre de Gusmão terá capacidade para processar 180.000 b / d de óleo e 12 MMcm / d de gás, com 250.000 b / d de injeção de água e capacidade mínima de armazenamento de óleo de 1,4 MMbbl. Será ancorado a 1.900 m (6.233 pés) de lâmina d’água, 160 km (99,4 mi) da costa de Arraial do Cabo, Estado do Rio de Janeiro.

O plano de desenvolvimento da Petrobras prevê que oito produtores de petróleo, seis injetores de água e gás e um poço conversível (do produtor ao injetor de gás) sejam conectados ao FPSO por dutos submarinos rígidos de produção e injeção e linhas de serviço flexíveis.

A produção deve começar em 2025: os contratos de afretamento e prestação de serviços terão duração de 22,5 anos a partir da aceitação final da plataforma.

Mero é o terceiro maior campo do pré-sal do Brasil. Os demais sócios são Shell Brasil Petróleo, TotalEnergies EP Brasil Ltda., CNODC Brasil Petróleo e Gás, CNOOC Petroleum Brasil e Pré-Sal Petróleo, a gestora deste contrato.

O Mero 1 FPSO está programado para iniciar as operações em 2022, seguido pelo Mero 2 em 2023 e Mero 3 em 2024. Todos terão uma capacidade de processamento de líquidos de 180.000 b / d.

Voltar ao Topo