Offshore

Petrobras 10.000 ruma para o Brasil

O navio-sonda Petrobras 10.000, da petroleira brasileira e operado pela Transocean, vai deixar o Golfo do México, na parte americana. A unidade que opera há cerca de um ano no projeto de Cascade-Chinook será trazida para o Brasil em setembro para executar campanhas de perfuração no Nordeste.

Embora a Petrobras não confirme a primeira locação, a expectativa é de que a sonda fique alocada inicialmente ao projeto de Farfan, onde está previsto o início de operação de um teste de longa duração, com o FPSO Cidade de São Vicente, no último trimestre deste ano. Além dessa descoberta, localizada no bloco SEAL-M-426, a petroleira brasileira responde pela operação de oito áreas na região, oriundas da 2a, 4a e 6arodadas, que formam um cluster de águas profundas.

A área de águas profundas de Sergipe é vista com bastante expectativa pela petroleira e pelo mercado, que aposta na confirmação da existência de uma nova fronteira na região. Entre as descobertas já asseguradas na área pela Petrobras estão Barra, Muriú, Moita Bonita, Poço Verde e Cumbe.

A previsão é de que a sonda Petrobras 10.000 fique operando no Nordeste até o fim do seu contrato com a Transocean, em setembro de 2019. A unidade virá para o Brasil por propulsão própria e o tempo de viagem é estimado em cerca de 25 a 30 dias.

Além dos blocos de Sergipe-Alagoas, a Petrobras opera outras áreas de águas profundas no Nordeste, localizadas nas bacias de Ceará-Potiguar, Pernambuco-Paraíba e Barreirinhas.(Fonte)

Voltar ao Topo