Economia

Perspectiva de inflação do Brasil em 2021 atinge o ponto mais alto em quase um ano

 As perspectivas para a inflação brasileira aumentaram pela quinta semana consecutiva, revelou nesta segunda-feira pesquisa do banco central com economistas, mais próxima da meta central do banco para o ano.

A projeção média para o IPCA de preços ao consumidor no final do ano subiu de 3,50% para 3,60% na semana anterior, segundo a última pesquisa semanal FOCUS com cerca de 100 economistas.

Esse é o maior valor desde março passado e próximo à meta do banco central para o fim do ano de 3,75%, com uma margem de erro de 1,5 ponto percentual em ambos os lados.

A inflação no Brasil, liderada pela alta dos preços dos alimentos, tem se mostrado menos “transitória” do que o banco central havia imaginado. Terminou o ano passado em 4,5%, bem acima da meta central do banco central de 4,00%.

Com as expectativas de inflação convergindo para a meta nos próximos dois anos, o banco em janeiro abandonou sua projeção para a frente após apenas cinco meses. Os mercados, então, anteciparam previsões para o primeiro aumento das taxas de juros desde 2015.

Pela segunda semana consecutiva, no entanto, a pesquisa FOCUS na segunda-feira mostrou que as previsões de taxa média dos economistas para o final de 2021 e para o final de 2022 permaneceram inalteradas em 3,50% e 5,00%, respectivamente.

A taxa Selic de referência do banco central está em uma baixa recorde de 2,00% desde agosto passado.

Voltar ao Topo