Economia

Inflação terá pico em junho ou julho, diz funcionário do ME

inflação

O Brasil tem alguns “problemas” com a inflação no momento, mas ela atingirá o pico em junho ou julho e, em seguida, cairá em direção à meta do Banco Central graças à ação conjunta das políticas monetária e fiscal, disse um alto funcionário do Ministério da Economia .

O secretário especial do ministério, Adolfo Sachsida, falava em evento online organizado pelo Conselho Empresarial Brasil-Flórida no dia em que os números mostraram a inflação mensal em maio, alta de 25 anos naquele mês e a taxa anual acima de 8% pela primeira vez desde 2016.

“No momento, temos alguns problemas com a inflação, eu entendo, e provavelmente a inflação atingirá o pico em junho e julho. No entanto, estamos trabalhando muito para trazer a inflação para dentro da meta até o final do ano ”, disse Sachsida.

Sachsida disse que o firme compromisso do governo com a consolidação fiscal ajudará a ancorar as expectativas de inflação, bem como atrair investimentos e manter o controle sobre as taxas de juros de longo prazo.

Enquanto isso, o presidente do Banco Central , Roberto Campos Neto , disse no início desta semana que os legisladores estão “100% comprometidos” em cumprir as metas de inflação do banco.

A meta deste ano é 3,75% com uma margem de erro de 1,5 ponto percentual eme ambos os lados, e a do próximo ano é 3,50%, com o mesmo nível de margem de manobra.

O Banco Central deve elevar as taxas de juros em 75 pontos-base pela terceira vez na próxima semana, elevando sua taxa básica de juros Selic para 4,25%. Muitos economistas esperam que aumente muito mais nos próximos meses.

“Tenho certeza de que o banco central fará a sua parte para reduzir a inflação e nós aqui no governo faremos o mesmo”, disse Sachsida.

Voltar ao Topo