Óleo e Gás

Consumo de GNL no Brasil aumenta no primeiro semestre

gnl

A média de regaseificação de GNL do Brasil no primeiro semestre de 2021 foi 160% maior do que a média de cada um dos dois anos anteriores.

No ano, até junho, os terminais de GNL do Brasil regaseificaram em média 21 milhões de m³ / d, de acordo com dados divulgados pelo ministério de Minas e Energia. A média anual em 2020 foi de 8,2 milhões de m³ / d e em 2019 foi de 8,3 milhões de m³ / d. O GNL é regaseificado em sua forma líquida para que possa ser entregue aos consumidores.

Em junho, quando foram aprovadas as principais medidas para conter a queda na geração hidrelétrica, o país regaseificou 35,1 milhões de m³ / d, mais de quatro vezes a média dos dois anos anteriores.

No primeiro semestre do ano, o GNL respondeu por 24% do gás natural fornecido no Brasil e 51% do fornecimento de gás natural importado do Brasil.

Demanda de GNL no país

A demanda por gás natural aumentou no Brasil este ano para impulsionar a geração de energia, já que a geração hidrelétrica foi paralisada por causa da seca mais severa em pelo menos 91 anos.

A demanda total de gás natural foi em média de 88,7 milhões de m³ / d no primeiro semestre de 2021, em comparação com 72,1 milhões de m³ em todo o ano de 2020 e 77,93 milhões de m³ / d em 2019.

O setor com maior aumento no consumo de gás foi a geração de energia, com uma média de 44 milhões de m³ / d no primeiro semestre deste ano, um aumento de 69% em relação ao ano anterior. O consumo industrial subiu para 42 milhões de m³ / d, um aumento de 16% no ano.

Voltar ao Topo