Economia

Brasil tem superávit comercial 6% maior

O Brasil registrou um superávit comercial de 6,16% maior em 2020, graças à demanda da China por suas commodities, principalmente soja e  minério de ferro .

O superávit foi de US $ 50,99 bilhões, ante US $ 48,03 bilhões em 2019, de acordo com o Ministério da Economia. A economia brasileira, que sofre os efeitos da pandemia, contraiu 4,5% no ano passado. 

As exportações em 2020 foram de US $ 209,9 bilhões, queda de 6,1%, e as importações, US $ 158,9 bilhões, ou 9,7% menor.

Para este ano, o departamento de comércio exterior espera um superávit de US $ 53 bilhões, com as exportações aumentando 5,3% e as importações 5,8%, em meio a projeções de recuperação da economia global.

As exportações de minério de ferro aumentaram 13,4% para US $ 25,72 bilhões no ano passado, respondendo por 12,25% de todas as exportações do Brasil em comparação com 10,06% em 2019.

O minério de ferro é o segundo produto de exportação mais importante do Brasil, atrás apenas da soja, que representou 13,61% do total no ano passado.

A China foi o principal parceiro comercial do país, representando 32,3% do total das exportações, ante 28,1% em 2019.

Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, com 10,2% do total, ante 13,2% no ano anterior.

A Argentina foi o terceiro parceiro comercial mais importante, representando 4% das exportações brasileiras no ano passado, ante 4,3% em 2019.

A maior participação da China nas exportações brasileiras ocorre apesar do presidente de direita Jair Bolsonaro (na foto) adotar uma postura conflituosa com Pequim, em linha com seu aliado Donald Trump.

Os líderes empresariais tentaram persuadir o Bolsonaro a mudar o tom de seu relacionamento com a China.

Voltar ao Topo