Energia

WEG e banco Votorantim fecham acordo para ampliar atuação de energia solar em empresas e residências

O Banco BV firmou parceria com a WEG, empresa brasileira especializada na produção e comercialização de motores elétricos, transformadores e geradores, para expandir seus negócios na área solar.

O acordo propõe uma linha de crédito especial para financiar a instalação de geradores solares em residências ou empresas, incluindo todos os equipamentos e mão de obra, essa operação também é válida para integradores, que são empresas habilitadas a instalar pequenos sistemas residenciais e comerciais e revender placas-mãe.

Daniel Monteiro, Diretor de Produtos de Varejo do Banco BV, afirmou: “Estamos muito satisfeitos com a parceria com a WEG, isso é uma referência para o mercado e nos ajudará a tornar esses projetos cada vez mais viáveis ​​para pessoas físicas e jurídicas”.

“A parceria com o BV é mais uma facilidade que a WEG trouxe para seus clientes e integradores, os sistemas solares possibilitam a expansão dessa fonte de energia no Brasil, alinhado com o compromisso da WEG em trazer soluções sustentáveis para o mercado”, afirma Manfred Peter Johann, superintendente da WEG Automação.

Esta mudança amplia a atuação do BV no mercado solar, que desde 2018 trabalha com o Portal Solar, mercado de instaladores de energia solar residencial, para desenvolver um plano de financiamento.

Em 2018, o BV passou a cooperar com o Portal Portal Solar, o maior mercado solar do Brasil, para levantar financiamento para a venda de painéis solares, os acionistas do Banco BV são o Banco do Brasil e a Votorantim S.A. – um dos maiores conglomerados privados da América Latina.

No que diz respeito à WEB, foi criada em 1961. É uma empresa global em equipamentos eletrônicos, atuando principalmente na área de bens de capital, fornecendo soluções elétricas, de automação e tintas, envolvendo infraestrutura, siderurgia, papel e celulose, óleo e gás e outros ramos, Gás natural, mineração, etc.

Em 2019, a receita líquida da WEG foi de 13,3 bilhões de won, dos quais 58% vieram de regiões fora do Brasil.

Voltar ao Topo