Petróleo

Venezuela importa petróleo pela primeira vez em cinco anos

A produção de petróleo na Venezuela caiu tanto que o dono das maiores reservas do mundo está importando petróleo pela primeira vez em cinco anos.

A produção do país caiu abaixo de 1 milhão de barris por dia para uma baixa de 16 anos em março, em meio a blecautes e sanções dos EUA. Enquanto a interrupção de energia fechava os campos de petróleo, oleodutos e portos, paralisando a infraestrutura de petróleo, a estatal Petroleos de Venezuela SA comprou uma carga de petróleo bruto da Nigéria, membro da OPEP, marcando a primeira importação de petróleo desde 2014.

Quase 1 milhão de barris de petróleo leve e doce de Agbami está sendo descartado na terça-feira, após o carregamento no início de abril, e pode ajudar a compensar a queda da produção doméstica. A PDVSA também pode usar o óleo mais leve como diluente para diluir o petróleo bruto da Venezuela, para que possa ser mais facilmente extraído de reservatórios subterrâneos.

Os fluxos que são misturados com óleo leve são comercializados como Merey 16, o maior óleo exportado do país e um grau usado para calcular o preço da cesta de petróleo da OPEP. A carga de Agbami provavelmente será usada para fabricar Merey, já que a produção de óleos leves domésticos vem caindo ao longo dos anos. De acordo com os últimos dados oficiais disponíveis, a produção caiu pela metade entre 2006 e 2016, para 313.000 barris por dia.

A última vez que a Venezuela importou petróleo bruto, em 2014, comprou petróleo bruto da Argélia para misturar com óleo extra-pesado para um grau que ficou conhecido como Blend 16. PDVSA interrompeu a mistura em meio a desentendimentos com a estatal petroleira da Argélia Sonatrach e reclamações de refinadores dos EUA maiores compradores da empresa.

Voltar ao Topo