Empregos

Veja as dicas para trabalhar embarcado em cruzeiros

Ao optar por trabalhar em cruzeiros marítimos, o candidato deve estar pensando em viajar para vários lugares, participar de uma aventura diferente, acrescentar mais experiência ao seu currículo, fazer contatos mundiais, ganhar uma grana extra e se divertir. E muito disso é realmente verdade. Claro que há diferentes obrigações que o profissional deve estar ciente em cumprir, independentemente da situação que se encontra no momento. Então vamos detalhar como é trabalhar em cruzeiros e como se faz para chegar até lá.

Inicialmente é preciso ter em mente que apenas maiores de idade podem se candidatar às vagas. No Brasil, por exemplo, a idade mínima é de 18 anos, já nos Estados Unidos da América é 21. O idioma inglês deve ser no mínimo intermediário e em algumas companhias é obrigatório ser fluente. E, claro, de ter conhecimento na área pretendida. Além do currículo, pode ser exigido um perfil comportamental do candidato e ele geralmente é parecido com este: ser simpático, obter destreza e bom-humor, vontade de estar sempre aprendendo, estar (muito) disposto a trabalhar e, não menos importante, uma grande tolerância cultural.

O site jobnavios.com.br também cita as documentações necessárias, que são estas:

– Passaporte com validade de, no mínimo, um ano a partir da data de embarque;
– Atestado de antecedentes criminais, emitido pela Secretária de Segurança Pública do seu Estado;
– Certificado do Curso de Segurança Marítima (STCW), com validade de cinco anos e emitido por instituições certificadas pela Marinha do Brasil;
– Exames e declarações médicas. A Costa Crociere é conveniada com o laboratório Premedical Care, garantindo que despesas médicas sejam reembolsadas a bordo;
– Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela, com validade de 10 anos e emitido pela Anvisa;
– Certificados do curso Ready for Excellence, treinamento gratuito oferecido pela Costa Crociere.

As vagas disponíveis são muitas e bem variadas. Entre as sempre disponíveis estão pessoas para trabalhar no bar e em restaurante, nos mais diversos cargos, que variam de auxiliar a garçom, de chefe de cozinha a balconista. Cruzeiros têm como sua principal característica o entretenimento, então profissionais do ramo não faltam – e vagas também não. Desde recreador infantil até músicos, DJ’s, organizadores de evento, fotógrafos e qualquer outra área que companhia estiver contratando.

Por ser um cruzeiro, obviamente há pessoas hospedadas, então todos os serviços relacionados à hotelaria devem estar disponíveis. Então é imaginável que há de tudo: desde arrumadeiras, zeladoras à concierges, para poder deixar os visitantes se sentindo em casa o mais rápido e facilmente possível. E cruzeiros também estão diretamente ligados a turismo, então guias são necessários para poder contar a todos os presentes informações importantes e divertidas sobre determinados locais.

Aliás, cruzeiros são navios e por ser um navio, é importante ter tripulação, ou então o barco nem mesmo sai do lugar. Então pense em todos os cargos que um navio precisa para poder navegar. Se for citar um a um, provavelmente a lista cansaria vocês de tanto ler. Em resumo, se você preencher essas qualificações, estará apto a trabalhar num cruzeiro marítimo.

Mas como é a vida de um tripulante de cruzeiros marítimos enquanto estão em alto mar? Muito boa, para ser sincero. É bem verdade que trabalham de dez a 12 horas diárias, mas se pensar que em terra firme são oito horas de serviço mais duas a quatro horas de ida e volta ao trabalho (em cidades grandes, no caso). Fora isso, todas as despesas são pagas pela companhia. Algumas até cobram por bebidas industrializadas, mas com um bom desconto.
A rotina de trabalho é bastante puxada, visto que não há 24 horas seguidas de descanso. As 12 horas de serviço geralmente são divididas em duas partes, dando a oportunidade para o profissional escolher em que período vai descansar e em qual vai se entreter, ou então mesclar ambos as duas vezes.
Os salários são bem variados, mas sempre alto. Para aqueles profissionais que recebem gratificações dos passageiros, a famosa gorjeta, o ganho médio é de 1.500 a 4.000 dólares por mês. Já para os que não trabalham em contato com os passageiros, varia de 350 a 500 dólares por semana.

Muitas companhias também investem em festas para os tripulantes poderem se divertir e interagir com os passageiros e outras culturas. Essa é uma medida adotada para motivar os funcionários, pois muitos desistem por saudades da família, amigos e situações do gênero. E a saudade, essa que duramente pode ser matada com ajuda da tecnologia, pois a internet a bordo é extremamente cara.

E quando o navio está ancorado, é permitido dar uma volta? Sim, mas usando o bom senso e trabalhando bem dentro do prazo estipulado pela companhia, que pode varias de duas à seis horas. Só que quando está de férias, dois meses de descanso são dados – e juntando isso com o desconto para a passagem dado pela companhia, há muito tempo de conhecer os locais.

De todos os trabalhos embarcados, o de atuar num cruzeiro marítimo é o mais prazeroso – e creio que poucos discordem disso. Caso esteja interessado, vá em frente e descubra qual é seu próximo destino.

Voltar ao Topo