Notícias

Varejista francesa Carrefour compra o grupo BIG no Brasil, levantando ações

As ações do Carrefour subiram na quarta-feira depois que o varejista francês de supermercados anunciou que compraria o Grupo BIG em um negócio que avalia o terceiro maior varejista de alimentos do Brasil em cerca de US $ 1,3 bilhão.

O negócio é a primeira aquisição significativa pela varejista de alimentos francesa desde uma possível aquisição pela canadense Couche-Tard desfeita em janeiro, após oposição do governo francês.

O Carrefour, maior varejista da Europa, disse no mês passado que estava “altamente confiante” de que poderia acelerar sua recuperação por conta própria e que aquisições menores poderiam ajudar a impulsionar o crescimento.

O Carrefour vai comprar a BIG, que opera 387 lojas e gerou vendas de 24,9 bilhões de reais (US $ 4,51 bilhões) em 2020, do Walmart e da empresa de investimentos Advent International.

“Vemos o movimento como ousado e prova de que o Carrefour está na dianteira em seus principais mercados”, disse o JP Morgan em nota.

As ações do Carrefour subiram 0,4% para 14,82 euros, superando uma queda de 0,3% no índice CAC 40.

“Nosso grupo está na ofensiva”, disse o presidente e executivo-chefe do Carrefour, Alexandre Bompard, em um comunicado.

O Carrefour já tem uma presença importante no Brasil, onde sua subsidiária Carrefour Brasil é a maior varejista do país em quase todas as medidas e administra os supermercados Atacadão.

Na França, onde os rivais incluem Casino e Leclerc, Bompard priorizou o reavivamento das vendas em lojas de hipermercados.

Uma aquisição bem-sucedida tornaria o Carrefour o líder incontestável do mercado no Brasil e criaria uma nova vertente de crescimento dos lucros acima e além da expansão da margem francesa.

O grupo disse que a transação avaliou o Grupo BIG em um valor de empresa de 7 bilhões de reais (US $ 1,3 bilhão).

A aquisição será feita 70% em dinheiro e 30% por meio de ações recém-emitidas do Carrefour Brasil. Após a conclusão, o Grupo Carrefour deterá cerca de 67,7% do Carrefour Brasil contra os atuais 71,6%.

O varejista disse que a aquisição proporcionaria uma contribuição adicional líquida para o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de R $ 1,7 bilhão por ano, três anos após o fechamento da transação.

As sinergias viriam de uma maior eficiência da cadeia de suprimentos, uma aceleração do e-commerce do Carrefour Brasil e aumento da lucratividade da loja por meio de maior densidade de vendas, disse o Carrefour.

Voltar ao Topo