Energia

Unidade de renováveis de Bonheur afetada pelo vento eólico baixo no 1º trimestre

A unidade de renováveis do grupo norueguês Bonheur ASA (OSL:BON) viu seu lucro líquido cair para NOK 269 milhões (USD 32,7 milhões/EUR 26,9 milhões) no primeiro trimestre de 2021 de NOK 529 milhões um ano antes, mostraram os resultados da empresa na semana passada.

O lucro da unidade antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) caiu para NOK 333 milhões de NOK 419 milhões há um ano, impactado por condições de vento desfavoráveis.

As receitas operacionais contraíram 14,7% para NOK 477 milhões, uma vez que a empresa experimentou condições de vento “extraordinariamente baixas” no trimestre, em comparação com as boas condições do período do ano anterior, com esse efeito negativo suavizado pelos preços mais altos de energia. A geração caiu para 514 GWh de 703 GWh no primeiro trimestre do ano passado.

O negócio de renováveis é composto por Fred. A Olsen Renewables AS com suas subsidiárias (FORAS), que possui um portfólio de 11 parques eólicos operacionais – nove na Escócia, um na Suécia e um na Noruega – com uma capacidade combinada de 680 MW. A FORAS tem uma propriedade de 51% em oito parques eólicos escoceses e possui integralmente os três restantes que totalizam 172 MW. Também possui um portfólio de desenvolvimento que inclui o projeto eólico offshore Codling, uma parceria com o FED da França (EPA:EDF), na Irlanda, que está sendo preparado para leilão em 2022.

A divisão de serviços eólicos da Bonheur, entretanto, reduziu sua perda líquida para NOK 41 milhões de NOK 132 milhões no primeiro trimestre de 2020.

As atividades da unidade incluem Fred. Olsen Windcarrier AS (FOWIC), que oferece serviços de transporte e instalação (T&I), bem como serviços de operação e manutenção (O&M) para a indústria eólica offshore.

A utilização dos navios de T&I e O&M nos três primeiros meses de 2021 foi de 74%, contra 75% da última vez.

O negócio registrou EBITDA de NOK 70 milhões, uma melhoria de uma perda de EBITDA de NOK 29 milhões, principalmente como resultado de problemas operacionais no primeiro trimestre do ano passado, disse a empresa.

As receitas operacionais diminuíram para NOK 607 milhões de NOK 630 milhões no primeiro trimestre de 2020.

Voltar ao Topo