Offshore

Umbilicais de aço inoxidável da Sandvik encomendados para o campo Mero no Brasil

O grupo sueco de engenharia Sandvik venceu o primeiro pedido de tubos umbilicais de aço inoxidável em larga escala para o campo petrolífero offshore do Mero no Brasil.

A Sandvik disse na terça-feira que o contrato foi significativo porque a indústria offshore de petróleo e gás no Brasil utiliza tipicamente umbilicais de mangueira termoplástica.

A entrega consistirá em mais de 500 quilômetros dos tubos umbilicais de aço inoxidável super duplex Sandvik SAF 2507 da Sandvik encapsulados pelo Prysmian Group .

De acordo com a empresa, a Sandvik SAF 2507 é um aço inoxidável austenítico-ferrítico que apresenta bom desempenho em condições altamente corrosivas e oferece excelente resistência a trincas por corrosão sob tensão, corrosão por fissuras e fendas, corrosão por erosão e fadiga por corrosão.

O Mero é um amplo campo petrolífero do pré-sal na Bacia de Santos, no litoral do Rio de Janeiro, com imenso potencial de produção de petróleo. Como um dos projetos de maior prestígio na América do Sul, o campo petrolífero Mero está sendo administrado pelo Consórcio Libra, formado por uma parceria entre Petrobras, Total, Shell Brasil, CNPC e CNOOC Ltd.

A primeira fase do projeto – Mero 1 – é um projeto de águas ultraprofundas composto por até 17 poços e um FPSO, situado a aproximadamente 180 km da costa do Rio de Janeiro, na área do pré-sal da bacia de Santos, a uma profundidade de aproximadamente 2.000 m abaixo do nível do mar, com produção de petróleo com início previsto para 2021.

Alan Souza , gerente de vendas da Sandvik, disse: “Existem várias vantagens em usar tubos de aço sobre plásticos, mas a principal é a confiabilidade em condições desafiadoras. Na Sandvik, temos observado de perto as tendências do mercado brasileiro nos últimos 20 anos e estamos bem posicionados para apoiar a transição do aço termoplástico para o aço mais robusto. ”

Vale ressaltar que o especialista em construção offshore do Brasil, Estaleiros do Brasil Ltda, concluiu a construção de dois módulos para o FPSO Guanabara MV31, que operará no campo de Mero, no final de janeiro .

O FPSO será contratado pela Petrobras através de um contrato de arrendamento e operação para o campo de Mero. O FPSO está planejado para ser implantado no campo de Mero em 2021 e o contrato é de 22 anos.

Quando concluído, o FPSO Guanabara MV31 terá uma capacidade de processamento de até 180.000 barris de petróleo por dia e 12 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

Voltar ao Topo