Petróleo

Trabalhadores da Petrobras fazem greve por movimentação de pandemias

Um sindicato brasileiro do petróleo lançará amanhã uma greve por tempo indeterminado para protestar contra a movimentação da Petrobras por surtos de Covid-19 a bordo de plataformas de produção offshore.

O sindicato do petróleo Sindipetro-NF, responsável por grande parte da produção na bacia de Campos, no Brasil, afirma que a Petrobras não está fazendo o suficiente para proteger os trabalhadores.

“Essa negligência da empresa coloca em risco não só nossas vidas, mas também as de nossos colegas de trabalho e famílias”, disse o sindicato.

Até agora, a Petrobras só reportou pequenas interrupções na atividade a montante por causa das infecções pelo Covid-19.

“A Petrobras refuta a acusação de desrespeito às leis ou diretrizes sanitárias. Todas as ações da empresa são baseadas em evidências científicas e determinações das autoridades sanitárias”, disse a empresa sobre a greve.

Por precaução, a Petrobras reduziu os níveis de pessoal nas plataformas e adotou um regime diferenciado de embarque no primeiro trimestre, quando a produção total nacional de petróleo subiu para 2,196mn b/d de 2,135mn b/d no quarto trimestre.

A greve é o primeiro chefe executivo da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, com conflitos trabalhistas. Em seu discurso de posseem 19 de abril, o ex-general do Exército falou em conciliar os interesses dos consumidores e acionistas e valorizar os trabalhadores do petróleo.

Voltar ao Topo