Offshore

TGS inicia pesquisa 2D Offshore Brasil

A TGS, fornecedora de dados sísmicos para exploração de petróleo e gás, iniciou esta semana a aquisição da fase 3 multi-cliente de Pelotas no exterior do Brasil.

O levantamento localizado na Bacia de Pelotas abrange aproximadamente 17 mil quilômetros de linha e funciona como extensão do TGS Pelotas 2D existente.

“Esta pesquisa foi projetada para fornecer dados 2D de alta qualidade que melhorarão a compreensão geológica da área, permitindo que os clientes desarriquem investimentos em rodadas futuras de licitação, como a próxima Rodada 17”, disse a TGS.

“Temos o prazer de iniciar a Fase 3 desta pesquisa – fortalecendo ainda mais nossa biblioteca de dados e posição offshore brasil. Estamos orgulhosos de fornecer dados sensíveis ao tempo antes da Rodada 17, enquanto continuamos a construir uma rede 2D contígua e regularizada ao longo da Margem Atlântica. As saídas antecipadas estarão prontas em duas parcelas (junho e julho de 2021) para permitir que nossos clientes analisem os dados bem antes da próxima rodada de licenças”, comentou David Hajovsky, vice-presidente do Hemisfério Ocidental, na TGS.

Atualmente, a TGS possui mais de 447.500 quilômetros em dados multi-clientes 2D e 69.500 quilômetros quadrados em dados multi-clientes 3D no Brasil. A TGS não disse qual navio estava sendo usado para a operação.

A empresa de levantamento sísmico informou em novembro de 2020 que iniciará uma Pesquisa 2D de 7.000 km na Bacia de Pelotas durante o primeiro trimestre de 2021, em parceria com o BGP, utilizando seu navio Pioneer. De acordo com os dados da embarcação AIS, o BGP Pioneer saiu no início desta semana do Rio de Janeiro e está a caminho de um local fora do Brasil.

Voltar ao Topo