Economia

Testes da OCDE planejam incluir Brasil e o outros cinco países

Mathias Cormann, secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), vem testando um plano com os principais países para a entrada de novos parceiros, apurou o Valor. Isso poderia diluir qualquer resistência às negociações com o governo Bolsonaro, por exemplo.

A ideia de Cormann é iniciar ao mesmo tempo o processo de inclusão dos seis atuais candidatos: três na América do Sul (Brasil, Argentina e Peru) e três na Europa (Romênia, Bulgária e Croácia). Depois, o ritmo de entrada como parceiro vai depender de como cada país avança nas negociações para cumprir as regras da organização, que tem influência crescente na governança global.

Uma das últimas tentativas de José Ángel Gurría, ex-secretário-geral da OCDE, foi iniciar o processo com Brasil e Romênia, estabelecendo prazos para o início das negociações com os outros quatro candidatos. Mas a administração Trump rejeitou o plano na época. Washington queria uma abertura gradual, a um a dois novos sócios, mas sem garantir a futura entrada de sócios europeus, como quer a União Europeia.

Agora, Cormann tenta encerrar o impasse sem colocar formalmente a proposta na mesa até obter algum apoio. Espera-se que as discussões acelerem à margem da conferência ministerial da OCDE em 5 e 6 de outubro em Paris, com a presença do Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

Voltar ao Topo