Notícias

Testes da 1ª vacina brasileira abrem cadastro; veja como participar

vacina

O Instituto Butantan abriu as inscrições na última quarta-feira (16) para candidatos  que desejam participar de maneira voluntária dos testes  da 1ª vacina brasileira. A ButanVac está sendo desenvolvida pelo Butantan em parceria co um consórcio internacional.

Os candidatos interessados irão participar como voluntários do teste da 1º vacina brasileira. As inscrições devem ser feitas por meio do site do Instituto Butantan. O imunizante precisa ser testado para ser aprovada para uso.

A vacina brasileira, assim como outras, precisa passar por cinco etapas. A primeira etapa é a fase de estudos em laboratório. A fase seguinte é o teste em animais também guiados em laboratório.

Após isso, é a vez de testar o imunizante na população voluntária. Nesse momento são realizados três fases de testes para verificar a produção de anticorpos, segurança e eficácia. Dessa maneira, agora é preciso aguardar os testes em humanos que foram divididos em: fase A, fase B e fase C.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a realização da fase A. Para isso será necessária a participação de 418 voluntários. Os testes da vacina brasileira serão realizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Segundo o Instituto Butantan, nessa fase, será possível participar pessoas acima de 18 anos. Pessoas já vacinadas contra a Covid-19 com uma das vacinas usadas no Brasil também podem ser voluntárias.

Nesse momento, o Instituto só está realizando o cadastro dos voluntários. Para que os testes possam começar é preciso aguardar a liberação do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Porém, é esperado que isso ocorra em poucas semanas e assim a primeira fase poderá iniciar.

A fase A contará com grupos de controle, ou seja, que irão receber placebo. Dessa maneira, a outra parte irá receber a vacina desenvolvida pelo Butantan. Porém, segundo Dimas Covas, diretor do Instituto, nas demais fases o estudo da ButanVac será de comparação com outras vacinas.

As outras duas fases, que aguardam a autorização da Anvisa, será desenvolvida com 5 mil voluntários. Essas etapas terão como objetivo observar o desenvolvimento da imunologia contra a Covid-19.

Esses dados serão comparados com o resultado de outras vacinas do mesmo segmento. Com isso, será possível verificar a eficácia da ButanVac. O estudo deve durar 17 semanas, ou seja, em menos de cinco meses poderá estar pronta para uso.

Voltar ao Topo