Marketing e Negócios

Tendências 2021: as 16 melhores opções de negócios para investir

2020 foi um ano que mudou completamente as perspectivas econômicas mundiais. Indústrias e mercados que se preparavam para uma possível recuperação econômica se viram diante de uma pandemia que modificou completamente os rumos da nossa sociedade.

O comportamento dos consumidores mudou, nossas prioridades passaram a ser outras, o digital passou a dominar nossa rotina, os mercados se tornaram voláteis e as empresas precisaram correr para se adaptarem a essa nova realidade. Tudo isso influenciou diretamente nas previsões para o mercado e nas tendências no mundo dos negócios para os próximos anos.

Confira abaixo as principais tendências apontadas para 2021 e tenha uma visão dos cenários nos quais vale a pena investir:

MENU DE NAVEGAÇÃO
1 → Economia mobile
2 → Segurança digital
3 → Inteligência Artificial
4 → Negócios sociais
5 → Negócios de nicho
6 → Economia Gig
7 → Negócios de Assinatura
8 → Educação para negócios
9 → Negócios móveis
10 → Pagamento sem contato
11 → Economia influenciável
12 → Trabalho remoto
13 → Escritórios inteligentes
14 → Foco nas pessoas
15 → Experiências Omnichannel personalizadas
16 → Rede 5G

1 → Economia mobile

Se em 2020 a economia mobile deu um salto além do esperado, em 2021 a tendência é que ela se fortaleça ainda mais.

Com a necessidade do isolamento, muitos consumidores que não faziam uso de meios virtuais de compra acabaram aderindo ao modelo. O uso de apps de delivery, assim como vendas realizadas através de mídias sociais e whatsapp, foi a solução encontrada por muitos negócios para contornar as limitações impostas pela pandemia. Com a modificação do comportamento dos consumidores, é esperado que a adesão aos meio de compra online se mantenha alta mesmo em um cenário de retomada total da economia.

Por conta disso, as empresas que investirem na qualidade do serviço online, no bom atendimento e na experiência do usuário sairão na frente em 2021.

2 → Segurança digital

Seguindo a alta do número de consumidores que aderiram aos meios digitais de compra e a grande adesão do modelo de trabalho home office, os debates sobre segurança digital ganharam relevância.

Só no Brasil, os ataques cibernéticos aumentaram mais de 300% com a pandemia. A principal causa disso é o aumento da vulnerabilidade dos sistemas devido ao acesso remoto dos sistemas por conta do home office.

Investir em segurança digital em uma sociedade cada vez mais conectada é uma tendência que não dá sinais de recuar tão cedo. Afinal, ataques cibernéticos cada vez mais sofisticados requerem uma evolução constante de soluções que mantenham os usuários seguros no ambiente virtual.

3 → Inteligência Artificial 

Há quem pense na Inteligência Artificial como algo do futuro ou presente apenas na ficção científica, mas o fato é que ela faz parte do dia a dia de grande parte da sociedade atual.

É só pensar desde as mídias sociais até os algoritmos que nos dão sugestões de filmes ou de produtos nos quais possamos ter interesse: tudo isso usa dados do usuário e machine learning para oferecer soluções cada vez mais customizadas.

Além disso, tanto empresas quando o governo se voltaram para o uso da IA como uma forma de buscar respostas mais rápidas para solucionar problemas agravados pela pandemia — algo que tende a se intensificar ainda mais em 2021.

4 → Negócios sociais

A principal missão desse modelo de negócio é solucionar problemas sociais. São empresas financeiramente autossustentáveis e visam sempre ampliar o seu impacto positivo.

Negócios assim são muito bem vistos pelas novas gerações de consumidores, com destaque para os millennials. A busca por produtos obtidos através de uma cadeia de produção sustentável e que preze por boas condições de trabalho para seus funcionários é cada vez maior dentro desses grupos.

Mas é preciso que o propósito e os valores da empresa estejam sempre muito claros e não sejam apenas mantidos a nível de aparências: com a facilidade de obter, checar e propagar informações, um negócio que apenas se aproveita do cunho social pode perder sua credibilidade da noite para o dia.

5 → Negócios de nicho

Os negócios de nicho seguem sendo uma forte tendência para 2021. Esse é um segmento que vem ganhando espaço ao focar no fornecimento de produtos e serviços para um público específico, que nem sempre é contemplado pelo mercado tradicional. Em outras palavras, aqui o consumidor está no centro.

É possível apostar em nichos em qualquer setor, desde alimentos voltados para quem tem restrições alimentares até roupas customizadas e cosméticos naturais cruelty-free. Focar nas necessidades específicas dos consumidores é o que impulsiona esse segmento, que tem atraído os olhares e culminado em estratégias até mesmo de grandes empresas já consolidadas no mercado.

6 → Economia Gig

A economia Gig consiste em uma forma de trabalho onde os empregos são temporários ou exercidas no modelo freelancer, sem vínculo empregatício e pagas de acordo com a demanda. Esse é um modelo que vem crescendo nos últimos anos e se acentuou desde o início da pandemia, quando muitos brasileiros se viram desempregados.

A flexibilidade de horários e a fluidez das relações de trabalho também são atrativos do modelo. Os exemplos mais conhecidos são serviços de transporte como o Uber e aplicativos de delivery que geram oportunidades para entregadores parceiros, como é o caso da Delivery Much.

Além disso, empreendedores também apostam em plataformas para contratação de freelancers para os mais diversos segmentos, como é o caso da Workana, da Crowd e da Rock Content.

7 → Negócios de Assinatura

Esse não é um modelo novo, mas voltou repaginado nos últimos anos e se tornou uma tendência forte para os próximos. Se antes a assinatura de revistas era o modelo mais conhecido, hoje em dia já é possível encontrar opções desde até assinaturas de vinhos e produtos orgânicos até curadorias de livros e roupas, bem como as populares assinaturas de streamings de áudio e vídeo.

É esperado que o mercado global de negócios por assinatura valha US$10,5 bilhões em 2025. Além de proporcionar para os assinantes a comodidade de uma experiência de compra diferenciada, a economia sob demanda também é vantajosa para quem vende, uma vez que ela conta com o pagamento recorrente dos usuários.

8 → Educação para negócios

À medida que o número de empreendedores aumenta, também cresce a demanda por conteúdo educativo para nortear a gestão e o crescimento do negócio. Investir no nicho de educação para negócios é uma forma de atrair esse público qualificado.

É possível focar em várias áreas essenciais para qualquer negócio, como marketing, vendas e gestão financeira, assim como também é possível focar em segmentos específicos (desde mercado financeiro até moda e confeitaria).

9 → Negócios móveis

O modelo de trabalho remoto já é um velho conhecido dos chamados nômades digitais. Eles são adeptos da economia Gig, e escolhem trabalhar de qualquer lugar do mundo. Com a popularização do home office em decorrência da pandemia, os negócios móveis tendem a se tornar uma alternativa viável para um número maior de pessoas em 2021.

A flexibilidade e a possibilidade de gerenciar sua própria carreira são os principais atrativos do modelo. Para quem contrata também há vantagens: como não é necessário reservar recursos para um espaço físico, torna-se muito mais acessível construir uma empresa bem estruturada e com os melhores funcionários sem se preocupar com barreiras físicas ou com grandes investimentos de capital.

10 → Pagamento sem contato

A praticidade do pagamento sem contato já era um diferencial que estava começando a ser explorado para agilizar ainda mais a finalização de uma compra e melhorar a experiência dos consumidores. Com a pandemia, a implementação da solução se tornou uma necessidade.

 

Segundo o MasterCard, os pagamentos sem contato cresceram 40% só no início da pandemia devido ao receio de contaminação. Além do pagamento por aproximação de cartão, os pagamentos mobile também são uma alternativa buscada por consumidores que querem se sentir mais protegidos. Mesmo após o fim da pandemia, as mudanças referentes ao comportamento de compra dos consumidores tende a continuar.

 

11 → Economia influenciável

Com a popularização das mídias sociais, é cada vez mais comum o surgimento de influenciadores digitais nos mais variados segmentos. Por isso, a associação de empresas com influenciadores é uma estratégia cada vez mais comum.

Mesmo para os pequenos negócios esse tipo de parceria é viável e pode trazer ótimos resultados, já que é possível investir em microinfluenciadores que tenham foco no mesmo nicho que eles. Como as mídias sociais foram uma das formas que as pessoas encontraram para se manterem em contato umas com as outras, o poder dos influenciadores também aumentou durante a pandemia.

12 → Trabalho remoto

Nunca se falou tanto em trabalho remoto quanto agora. Até o ano passado, as empresas que permitiam o trabalho remoto em alguns dias da semana era considerado um diferencial. Em 2020, ele se tornou a solução para que muitos negócios continuassem operando durante o isolamento.

De olho nesse processo emergencial de adaptação ao trabalho remoto, muitas empresas investiram em soluções para facilitar a logística das empresas. O maior exemplo é a plataforma Zoom, usada para videoconferências: entre janeiro e março, a empresa teve um aumento de 1.123% dos seus lucros em relação ao mesmo período em 2019. Já até o fim do primeiro trimestre, o aumento de clientes pagantes atingiu uma alta de 354% em relação ao ano passado.

A tendência é que em 2021 o modelo home office permaneça forte, o que abre um leque de oportunidades para empresas dispostas a investir em soluções voltadas para o trabalho remoto.

13 → Escritórios inteligentes

Aos poucos estamos tornando nossas casas cada vez mais inteligentes. A adesão de assistentes virtuais é prova disso: cada vez mais populares, elas são usadas para conectar diferentes dispositivos entre si. Assim como essas tecnologias já estão se tornando parte do nosso dia a dia, a tendência para os próximos anos é a de que os nossos escritórios também se tornem cada vez mais inteligentes.

A Inteligência Artificial e a Internet das Coisas são os principais recursos para aprimorar os ambientes de trabalho. Os dispositivos estarão cada vez mais conectados e, a partir da capacidade de aprendizado das máquinas, também se tornarão mais eficientes na tarefa de otimizar processos por conta própria.

14 → Foco nas pessoas

Ainda que a tecnologia seja uma tendência forte, o foco nas pessoas não fica para trás. Garantir o bem-estar de todos os envolvidos no ciclo de um produto, desde funcionários que trabalham em sua fabricação até os seus consumidores, deve ser prioridade para qualquer empresa.

Quando as pessoas são verdadeiramente valorizadas, sua produtividade e vontade de oferecer o melhor aumentam. Já para os consumidores, saber que a empresa investe em um ambiente de trabalho saudável para seus funcionários pode ser um fator decisivo no momento da tomada de decisão de compra.

15 → Experiências Omnichannel personalizadas

Uma mesma marca pode chegar até o consumidor de diversas formas: em uma loja física, através de um site, em suas mídias sociais, em um contato via whatsapp. Mesmo que os canais sejam diferentes, a marca é a mesma. Por mais óbvio que isso possa parecer, não é assim que muitas empresas trabalham a integração de dados dos seus clientes hoje.

 

As experiências omnichannel personalizadas são uma forma de construir relacionamentos melhores e mais consistentes com os consumidores. A marca não apenas funciona de forma integrada e está sempre pronta para oferecer soluções como também reconhece as necessidades únicas dos seus clientes. O caminho das marcas é de reduzir as formalidades e se aproximar cada vez mais de seus clientes.

16 → Rede 5G

Esta é mais uma solução que foi acelerada por causa da pandemia. O trabalho remoto, as videoconferências e a colaboração no ambiente digital ressaltaram a necessidade de conexões mais confiáveis e mais rápidas.

Ninguém quer correr o risco de ficar desconectado, então a demanda por redes 5G se tornou ainda maior. Estima-se que, em 2024, as redes 5G serão responsáveis por 35% do tráfego mobile em todo o mundo e estará acessível para 65% da população. Como o trabalho e o ensino tendem a permanecer à distância em 2021, essa é uma solução na qual vale a pena investir.

Voltar ao Topo