Offshore

Tecnologia Robótica e Drone poderia Transformar o Mercado de Petróleo Offshore

O surgimento e o desenvolvimento de novas tecnologias incentivaram a indústria de petróleo e gás a integrar novos dispositivos e sistemas ao mercado, na tentativa de aumentar a eficiência, os níveis de produção e reduzir os custos gerais.

As empresas de petróleo estão agora explorando o potencial da utilização de tecnologia robótica e drones para executar tarefas difíceis e perigosas em locais offshore. Esses dispositivos podem reduzir custos, melhorar o desempenho geral e a segurança, minimizando a quantidade de exposição a condições perigosas.

A petrolífera BP está atualmente usando um sistema robótico para inspecionar a plataforma Thunder Horse no Golfo do México. O dispositivo magnético é equipado com um inovador sistema de câmeras. O robô de inspeção também é suportado por drones e câmeras adicionais que podem registrar cada detalhe específico. Executivos da BP sugeriram que essa tecnologia pode reduzir as inspeções em quase 50% e também eliminar a necessidade de as pessoas trabalharem em condições perigosas.

Desde a implementação do projeto robótico-drone na Thunder Horse, a BP está agora procurando desenvolver projetos adicionais em várias outras plataformas próximas. Na refinaria Cherry Point, no estado de Washington, os dispositivos robóticos inspecionam os sistemas usando a tecnologia de ultrassom para identificar eventuais falhas ou rachaduras na superfície. O sistema de robôs reduziu os tempos de inspeção para aproximadamente uma hora, de um número anterior de 23 horas geralmente gasto para inspecionar fisicamente as unidades.

Com o crescente desenvolvimento de sistemas robóticos e melhorias claras na eficiência e no custo, alguns profissionais estão preocupados em como a nova tecnologia pode afetar as futuras oportunidades de emprego. Os principais profissionais, no entanto, indicaram que isso não deveria ser uma preocupação significativa para os funcionários do setor. Os custos atuais para o desenvolvimento robótico e outros dispositivos tecnológicos significam que muitas empresas não devem adotar esses sistemas tão cedo. As grandes empresas, no entanto, estão avançando com novas tecnologias e sistemas robóticos. A BP tem trabalhado em um dispositivo de tecnologia de fonte sísmica que é capaz de medir sinais de baixa frequência que poderiam ajudar a empresa a prever quantidades remanescentes de petróleo em vários locais.

A norueguesa Statoil está trabalhando em plataformas de controle remoto para seus sites menores. No ano passado, a Statoil desenvolveu seu primeiro site não-tripulado, localizado na plataforma Oseberg H. A empresa francesa Total, juntamente com o centro de tecnologia de petróleo e gás em Aberdeen, está trabalhando no teste do primeiro sistema autônomo de robôs offshore. O projeto visa a utilização de um robô móvel para a inspeção não tripulada da Shetland Gas Plant onshore e da plataforma offshore Alwyn.

Dave Mackinnon, chefe de tecnologia e inovação da Total E & P, sugeriu que a nova tecnologia aumentará a segurança, diminuirá os custos e prolongará a vida útil das atividades na região do Mar do Norte. Mackinnon acredita que os robôs apresentam um novo e excitante momento para o setor offshore de petróleo e gás.

No mercado de perfuração offshore, a GE e a Noble Corporation têm colaborado para desenvolver a primeira plataforma de perfuração digital que pretende melhorar a atividade de perfuração e reduzir os gastos operacionais em um quinto dos equipamentos-alvo. A plataforma digital coleta dados que medem modelos preditivos.

Com a indústria procurando continuamente melhorar a eficiência, os custos e a segurança, o uso de robôs e drones provavelmente se tornará mais comum no mercado de petróleo e gás.

Voltar ao Topo