Energia

Sterlite Power avança na estratégia de negócios pós-venda de 3 ativos no Brasil

A Sterlite Power, que está entre os principais desenvolvedores globais no setor de transmissão de energia, alcançou um marco importante no Brasil ao vender três ativos, como Arcoverde, Novo Estado e Pampa, do seu portfólio por cerca de US $ 100 milhões (BRL 566 milhões).Sterlite Power avança na estratégia de negócios pós-venda de 3 ativos no Brasil por cerca de US $ 100 milhões.

A Sterlite Power, que está entre os principais desenvolvedores globais no setor de transmissão de energia, alcançou um marco importante no Brasil ao vender três ativos, como Arcoverde, Novo Estado e Pampa, do seu portfólio por cerca de US $ 100 milhões (BRL 566 milhões).

Após a alienação desses ativos, a empresa agora possui sete projetos em diferentes regiões brasileiras, que estão em diferentes fases de execução.

Comentando sobre o fechamento dos projetos, Pratik Agarwal, diretor administrativo da Sterlite Power, disse que “a Sterlite Power construiu uma forte presença no mercado brasileiro de transmissão de energia, com um portfólio robusto de projetos em vários estágios de desenvolvimento. Impulsionados pela inovação e excelência operacional, entregamos nosso primeiro projeto ArcoVerde em maio de 2019, muito antes do previsto. Recentemente, alienamos alguns de nossos projetos para incorporar promotores e investidores, o que reflete a alta qualidade dos ativos em nosso portfólio. Continuamos comprometidos com a execução sustentável de nossos projetos que contribuem para a expansão do sistema de transmissão de energia do Brasil. ”

Dos sete projetos, o projeto Vinhedos da empresa, no Rio Grande do Sul, está em fase avançada de construção. Já está parcialmente energizado e corresponde a 70% da empresa. A previsão é de que este projeto seja entregue em 2020.

Enquanto isso, os outros seis projetos da empresa estão em diferentes fases do licenciamento ambiental. Passando pelo Nordeste com Dunas, Borborema e São Francisco. No Centro-Oeste, Goyaz e no Norte, há Marituba e no Sudeste, a empresa continua com o Solaris.

O projeto Arcoverde da empresa foi adquirido pelo Fundo de Investimento Vinci Energia e está em operação desde maio de 2019. A Sterlite entregou o projeto Arcoverde 28 meses antes do cronograma estabelecido pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) (agosto de 2021).

Além disso, a construção do Projeto Arcoverde aumentou o fluxo de energias renováveis ​​para a região de Pernambuco, com a construção de 129 km de linhas de transmissão de energia, a instalação de uma nova subestação (Arcoverde II) e a expansão de duas outras subestações (Garanhuns II e Caetés II) existentes na região.

O outro projeto da Sterlite, Novo Estado , será operado pelo braço brasileiro da ENGIE, a ENGIE Transmissão de Energia Participações. Possui 1831 km de linhas de transmissão, 4.000 torres e 32.000 km de cabos. Este projeto expandirá as interconexões Norte-Sudeste e Norte-Nordeste, além da parte da saída de energia da UHE Belo Monte, contribuindo para o fortalecimento de uma rede ainda mais sólida e ativa no desenvolvimento do sistema de transmissão de energia no Brasil e na região norte.

O projeto Pampa da empresa, adquirido pelo FIP Brasil Energia (fundo fechado de private equity) e CYMI Construções, contempla a construção de 3 linhas de transmissão de energia, totalizando 316 km de extensão, 2 subestações e capacidade de transformação de 1.544 MVA, com previsão de conclusão em Março de 2023, que promoverá a Rede local e Nacional.

Voltar ao Topo