Energia

Solar e biogás é dupla perfeita para agroenergia no Brasil

“Eles são a dupla ideal”, porque a combinação de fontes solares e de biogás possibilita o fornecimento de eletricidade 24 horas, uma durante o dia e a outra à noite, diz Anelio Thomazzoni, um criador de porcos que se tornou produtor de energia limpa no sudoeste do Brasil.

Thomazzoni, dono de uma fazenda em Vargeão, um pequeno município de 3.500 habitantes no oeste de Santa Catarina, onde cria e engorda 38.000 suínos, usa o esterco para extrair biogás e gerar 280.000 MW-hora por mês.

A geração de energia aumentará 46% quando os painéis solares que ele estiver instalando em 6.000 metros quadrados de sua fazenda de 100 hectares começarem a operar. E aumentará ainda mais quando seu maior biodigestor, atualmente em construção, for concluído, porque fornecerá mais biogás para seus três geradores elétricos.

Uma nova fazenda, com 30.000 porcos, representará mais carne e mais biogás que podem ser convertidos em eletricidade ou biometano, o gás purificado usado como combustível para caminhões, tratores e veículos de passageiros.

O entusiasmo de Thomazzoni, de 60 anos, é alimentado pelos novos e promissores negócios que ele vem desenvolvendo nos últimos quatro anos, o que já gera uma renda adicional significativa.

Ele também economiza em custos de energia consumindo uma pequena parte da eletricidade gerada.

E o que resta do estrume após a extração do gás é convertido em fertilizante para o cultivo do feno e em uma plantação de eucalipto usada para lenha. “Eu tenho um sistema de produção integrado”, ele diz orgulhosamente à IPS em sua fazenda.

Com a energia solar, ele acredita que conseguirá uma combinação perfeita, usando o biogás para gerar eletricidade quando não houver luz solar.

As usinas de biogás, que estão começando a assumir um papel importante no mix de energia do Brasil, ajudam a fornecer estabilidade à rede elétrica afetada pela expansão de fontes solares e eólicas, cuja intermitência deve ser compensada por uma fonte “armazenável” para garantir a distribuição sem flutuações ou apagões.

O biogás também contribui para mitigar o aquecimento global, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa, e ajuda a manter o meio ambiente limpo, usando lixo e esgoto urbano, resíduos agrícolas e esterco que, de outra forma, contaminariam a água e o solo.

Por todas essas razões, Thomazzoni se tornou um ativista que defendia essa fonte alternativa de energia. Ele lidera uma associação nacional de criadores de porcos que produzem biogás, que busca fomentar a produção desse combustível alternativo por meio de acordos que trazem benefícios mútuos, como expansão do mercado e troca de tecnologias incipientes que exigem adaptação às condições locais.

Voltar ao Topo