Notícias

Simões Filho: jovem é assassinado dentro de condomínio do Minha Casa Minha Vida

Após comemorar a redução de 40% de Crimes Violentos Letais e Intencionais – CVLI na cidade de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Polícia Militar registrou um caso de violência na tarde desta quinta-feira (03/10). De acordo com as informações da PM, um jovem de 19 anos foi morto a tiros dentro do condomínio residencial Universitário II do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida, localizado  no bairro de Vida Nova.

Ainda segundo informações divulgadas pela assessoria de comunicação da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), por volta das 17h10, o Centro Integrado de Comunicação (CICOM) informou aos agentes sobre um indivíduo que teria sido baleado. Os militares deslocaram imediatamente para atender a ocorrência e, ao chegar ao local verificou-se que tratava-se do jovem Janderson Bueno da Silva Junior de 19 anos, que foi atingido por disparo de arma de fogo, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (SAMU), foi acionado e ao chegar ao local, o médico constatou o óbito de Janderson.

A PM de Simões Filho ainda informou que uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DTP) foi acionada e está a caminho para realizar os procedimento necessário e em seguida o corpo de jovem deverá ser encaminhado para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), localizado no bairro Barris em Salvador e posteriormente liberado para os familiares poderem realizar o sepultamento.

O caso chamou a atenção dos vizinhos e de curiosos. Uma pessoa não identificada, com o auxílio de um aparelho de celular registrou imagens após o crime que mostra momento que Janderson esta ao solo e, uma mulher que aparenta ser familiar do rapaz, esta que, algumas pessoas nas redes sociais relatam ser a mãe dele aparece desesperada, chorando e abraçado o corpo do rapaz já sem vida. A reportagem do Fala Simões Filho teve acesso à gravaçao, mas não divulgou o vídeo por conter imagens fortes, impróprias e por respeito aos familiares da vítima.

Não há informações sobre autoria e motivação do crime. O caso será investigado pela 22ª Delegacia Territorial de Simões Filho.

 

 

 

 

 

 

Voltar ao Topo