Energia

Shell e Harbour Se unem para o projeto de energia no Reino Unido

A Royal Dutch Shell Plc está se juntando a um projeto para construir o que poderia ser um dos primeiros centros de captura de carbono e hidrogênio em larga escala do Reino Unido à medida que o petróleo se concentra em energia mais limpa e emagrece seus negócios tradicionais.

A Shell se juntará ao maior produtor independente de petróleo e gás do Reino Unido, Harbour Energy Plc, e com a desenvolvedora do projeto, a Storegga Geotechnologies Ltd, uma unidade deste último disse sexta-feira. As empresas serão parceiras iguais no empreendimento da Acorn, disse ele, sem divulgar potenciais investimentos deles.

O acordo é o mais recente de uma série de empreendimentos de baixo carbono anunciados pela Big Oil no último ano. O major anglo-holandês, que busca ter acesso a mais 25 milhões de toneladas por ano de capacidade de captura e armazenamento de carbono até 2035, está desenvolvendo projetos de grande escala na Austrália e noruega, e uma instalação no Canadá já captura 1 milhão de toneladas anualmente.

A Acorn está em curso para ser o primeiro CCS, econômico e escalável do Reino Unido, de acordo com o Storegga. Espera-se que esteja armazenando pelo menos 5 milhões de toneladas por ano de dióxido de carbono até 2030, metade das emissões estabelecidas nas metas do governo britânico.

Com sede no Nordeste da Escócia, a Acorn CCS pode reutilizar os gasodutos de gás natural existentes para tomar CO2, com a primeira fase operacional até meados da década de 2020, de acordo com o site do projeto. A planta de hidrogênio de Acorn pode estar on-line em 2025.

A Total SE havia anunciado interesse no projeto em 2018, mas no início desta semana a Acorn disse que o major francês havia decidido renunciar “como parte de sua estratégia de gestão de portfólio”.

Voltar ao Topo