Empregos

Sembcorp Marine arquiva relatório policial após sonda do Brasil

Sembcorp Marine arquiva relatório policial após sonda do Brasil

A Sembcorp Marine, um grupo global de engenharia marítima e offshore sediada em Cingapura, entrou com um relatório de transação suspeito com a polícia de Cingapura após investigações sobre uma subsidiária da empresa no Brasil.

As autoridades brasileiras executaram um mandado de busca contra a Estaliero Jurong Aracruz (EJA) em julho de 2019, em conexão com as investigações em andamento relacionadas ao  caso de corrupção da  Operação Lava Jato. O mandado de busca foi parte das investigações sobre o ex-consultor da EJA Guilherme Esteves de Jesus, que foi preso pela polícia federal brasileira e atualmente enfrenta acusações criminais.

O relatório de transação suspeita da Sembcorp foi apresentado em relação ao ex-presidente da EJA, Martin Cheah Kok Choon, que foi nomeado no mandado de busca como estando sujeito a investigações por autoridades brasileiras. O emprego da Choon na EJA foi encerrado em junho de 2015, e a Sembcorp declarou que não estava ciente de que qualquer de seus administradores ou diretores fosse objeto de investigações em andamento.

Descrito pelo Departamento de Justiça dos EUA como “o maior caso de suborno estrangeiro na história”, o escândalo de corrupção da lavagem de carros viu a multinacional brasileira Petrobras acusada de subornar políticos e partidos brasileiros e tentar esconder esses pagamentos de investidores e agências reguladoras.

A Sembcorp Marine foi inicialmente envolvida no escândalo Car Wash em fevereiro de 2015, quando o ex-gerente de engenharia da Petrobras, Pedro José Barusco, alegou que Jesus estava ligado a pagamentos ilegais feitos à Petrobras, resultando em sua prisão em março de 2015. De Jesus foi acusado pelas autoridades brasileiras. Abril de 2017, com o seu julgamento a começar em 2018.

A Sembcorp Marine afirmou que as empresas ligadas a Jesus eram contratadas pelas subsidiárias da Sembcorp como consultores no Brasil, por meio das quais essas subsidiárias asseguravam vários contratos de construção de sonda de perfuração.

A empresa acrescentou que todos os contratos de serviços de consultoria prestados às subsidiárias da empresa ligadas a Jesus foram suspensos e que o Grupo Sembcorp não teve nenhum contato com de Jesus ou com empresas relacionadas a ele após essa suspensão.

Em um comunicado, a Sembcorp Marine disse: “A empresa deseja reiterar que o grupo está comprometido com os mais altos padrões de conformidade com as leis anticorrupção e não tolera e não tolerará qualquer conduta comercial imprópria.

“O grupo tem um programa de conformidade rigoroso e trabalha continuamente para garantir que as políticas e os procedimentos estejam em vigor para evitar qualquer violação de qualquer lei anticorrupção aplicável às nossas operações.

“A empresa continuará a monitorar os desenvolvimentos no Brasil e em outras jurisdições com relação aos assuntos acima, e fará anúncios apropriados no caso de qualquer desenvolvimento material.”

A Sembcorp Marine foi abordada para comentar, mas devido à natureza contínua da investigação foi “incapaz de fornecer mais comentários”.

Voltar ao Topo