Offshore

SBM Offshore venderá participação de 35,5% no FPSO Sepetiba para Mitsubishi e NYK

A operadora holandesa de armazenamento e transferência de produção flutuante (FPSO), SBM Offshore, assinou um contrato com a Mitsubishi e a Nippon Yusen Kabushiki Kaisha (NYK) para a venda de uma participação minoritária no FPSO Sepetiba.

De acordo com os termos do acordo, a Mitsubishi adquirirá uma participação de 20% e uma participação de 15,5% da NYK nas empresas de propósito específico relacionadas ao arrendamento e operação do FPSO Sepetiba. Os termos financeiros do acordo não foram divulgados.

De acordo com os termos do acordo, a Mitsubishi adquirirá uma participação de 20% e 15,5% de participação da NYK nas empresas. Os termos financeiros do acordo não foram divulgados.

Após a conclusão do negócio, a SBM Offshore continuará atuando como operadora com 64,5% de participação.

O acordo segue a recente assinatura de um contrato de longo prazo da SBM Offshore com a Petrobras do Brasil para o uso e operação do FPSO Sepetiba por um período de 22,5 anos no campo de petróleo de Mero, localizado na Bacia de Santos, no exterior do Brasil.

SBM Offshore contratará o FPSO Sepetiba em 2022

Programado para comissionar em 2022, o FPSO tem uma capacidade de produção de petróleo de 180.000 barris / dia, capacidade de produção de gás de 12 milhões de metros cúbicos padrão por dia, capacidade de armazenamento de petróleo de 1,4 milhão de barris e capacidade de injeção de água de 250.000 barris / dia.

Planejado para ser espalhado ancorado em aproximadamente 2.000 m de profundidade, o FPSO contará com módulos de superfície que pesarão cerca de 33.000 toneladas.

Localizado a 180 km da costa do Rio de Janeiro, a uma profundidade de 2.000 m, o campo Mero está localizado no bloco Libra, que está sob um contrato de compartilhamento de produção com um consórcio.

O consórcio compreende a Petrobras com uma participação de 40%, a Shell com 20% de participação, a Total com 20% de participação, a CNODC com 10% de participação e a CNOOC com 10% de participação.

A Mitsubishi disse que o último acordo permite desenvolver e garantir uma produção estável a partir de recursos offshore de petróleo e gás no Brasil.

A empresa japonesa declarou: “Este será o quinto projeto de FPSO conjunto da MC com a SBM e o primeiro em seis anos no Brasil, o último sendo os FPSOs da Cidade de Marica e da Cidade de Saquarema em 2013. A MC planeja continuar expandindo seu FPSO e outros offshore empresas em todo o mundo “.

Em novembro, a SBM Offshore ganhou contratos relacionados ao Prosperity FPSO a serem implantados no projeto de desenvolvimento de Payara, na costa da Guiana.

Voltar ao Topo