Benefícios

Salário mínimo, PIS, seguro-desemprego e INSS tem novo reajuste para 2021

O Governo anunciou na terça-feira (17) o novo valor estipulado do salário mínimo 2021, e nesta quinta-feira (19) a equipe econômica reformulou as novas Leis Orçamentárias para 2021. Entenda os impactos da mudança para o INSS, seguro desemprego e PIS/PASEP.

Os benefícios assistenciais e previdenciários, conforme Lei, são reajustados seguindo o aumento do salário mínimo. Ou seja, todas as vezes que o valor do salário sobe, os benefícios também aumentam.

O novo piso nacional vai ser reajustado levando em consideração as alterações do Índice Nacional de Preços do Consumidor (INPC). Segundo a última avaliação do Ministério da Economia, o INPC será modificado:

Salário Mínimo

O piso nacional deverá ser reajustado para R$ 1.087,84. Com um aumento R$ 21 mais alta que a primeira projeção de R$ 1.067 e menor que os 4,1% de R$ 42,84 previsto semanas antes. Ciente de que o valor do piso nacional afeta diretamente os cofres públicos, o governo federal informou que não fará um aumento real na base.

A quantia de R$ 1.087,84 será ofertada a partir do mês de janeiro, levando em consideração o fim do pagamento do auxílio emergencial, como explicou a equipe econômica.

Espera-se ainda que o valor seja contestado por representantes da Câmara e do Senado, tendo em vista que há uma crise em grande escala afetando todo o país, especialmente sobre a inflação de alimentos básicos.

Mudança nos valores dos benefícios

Seguro desemprego: o valor a ser pago leva em consideração o tempo de serviço prestado e também a quantidade de vezes em que o trabalhador já solicitou o benefício. O pagamento pode acontecer em três a cinco parcelas.

INSS: todos os benefícios passarão a ser fixados com uma base mínima na nova quantia quase R$ 1.088, incluindo o BPC que deverá ser o primeiro a sofrer reajuste.

PIS/PASEP: O valor máximo que poderá ser pago é igual ao valor do salário mínimo para quem trabalhou os 12 meses do ano. O valor pago varia de acordo com os meses trabalhados. Tem direito ao benefício quem recebeu dois salários mínimos, em média, por mês, quem está inscrito há cinco anos no programa, dentre outras.

Voltar ao Topo