Economia

Rússia reabre mercado para o Brasil para o comércio de carne

comércio carne

A Rússia anunciou ao Brasil que estava reabrindo seu mercado para uma cota de até 300.000 toneladas de carne, com tarifa zero, incluindo 200.000 toneladas de bovinos e 100.000 toneladas de suínos. Da mesma forma, a Rússia suspendeu as restrições às exportações de carne bovina de uma planta de processamento da Minerva e certificou uma segunda planta para iniciar os embarques.

A informação foi repassada diretamente à ministra da Agricultura e Pecuária do Brasil, Tereza Cristina, que está se reunindo com autoridades em Moscou. A abertura do mercado russo é válida por seis meses. Normalmente, a tarifa de importação russa de até 530.000 toneladas é de 15%.

A ministra Cristina se reuniu com o chefe do Serviço Federal Russo de Vigilância Veterinária e Fitossanitária (Rosselkhoznadzor), Sergey Dankvert, e concordou que os veterinários russos farão uma visita de inspeção ao Brasil no primeiro trimestre de 2022 para permitir que novos frigoríficos exportem para a Rússia.

Em sinal de boa vontade, a Rússia retirou restrições, pendentes desde 2017, a uma planta exportadora de carne bovina e certificou um segundo abatedouro, ambos pertencentes ao Grupo Minerva. As decisões foram informadas pessoalmente à Ministra Cristina durante sua visita a Moscou.

Os frigoríficos autorizados são o SIF 791, em Rolim de Moura, Rondônia, e o 2911, localizado em Mirassol d’Oeste, São Paulo. Produtos processados ​​nessas fábricas, como carne, vísceras e gorduras bovinas, podem começar a entrar na Rússia neste mês.

O matadouro em São Paulo estava suspenso desde maio de 2017, quando Rosselkhoznadzor impôs restrições à carne bovina e suína brasileira devido a “inúmeras detecções do beta-adrenostimulante ractopamina” em produtos cárneos brasileiros.

Voltar ao Topo