Economia

Rede brasileira de pagamentos Elo escolhe bancos para IPO

A empresa de pagamentos brasileira Elo escolheu seis bancos para administrar sua oferta pública inicial, disseram quatro fontes próximas ao assunto, no primeiro sinal concreto de que está dando andamento a uma ação proposta inicialmente pelos acionistas em agosto.

A rede de pagamentos – lançada há uma década para competir com Visa Inc e Mastercard Inc – está planejando um IPO na Nasdaq, disseram as fontes, após recentes listagens de sucesso por empresas brasileiras de serviços financeiros, como XP Inc e StoneCo Ltd.

A Elo escolheu Morgan Stanley, Goldman Sachs e JPMorgan & Co como os principais subscritores, junto com as unidades de banco de investimento de seus proprietários Banco Bradesco SA, Banco do Brasil SA e Caixa Econômica Federal.

Uma das fontes disse que a Elo está buscando uma avaliação de cerca de US $ 7 bilhões por meio da flutuação, o que outra fonte disse que provavelmente ocorrerá no segundo semestre do ano. Elo não quis comentar o assunto.

Bradesco, Banco do Brasil e Caixa pretendem vender apenas uma parte de suas participações na oferta, disseram as fontes.

A Elo planeja usar parte dos recursos do IPO para aumentar sua rede de emissores. Além de seus três fundadores, que estão entre os maiores credores do Brasil, apenas alguns outros pequenos bancos atualmente emitem cartões sob sua bandeira.

A empresa, com 132 milhões de cartões de crédito e débito em circulação, também precisa aumentar sua aceitação no exterior, principalmente na Europa e em países como México e Canadá.

Nenhuma decisão final sobre a listagem nos Estados Unidos ainda foi tomada, mas se ela prosseguir, a Elo provavelmente também listaria seus certificados de depósito brasileiros na bolsa B3 SA de São Paulo.

Mais bancos domésticos ainda podem aderir ao negócio, disseram duas fontes, pedindo anonimato para divulgar conversas privadas.

Os pagamentos com cartão cresceram rapidamente no Brasil durante a pandemia de coronavírus no ano passado. A associação de cartões do país estima que as transações com cartões aumentarão em um quinto em 2021, após um aumento de 8,2% no ano passado.

A Elo, que registrou lucro líquido de 838 milhões de reais ($ 149,8 milhões) no ano passado, encerrou 2020 com 1,5 bilhão de reais em caixa.

Voltar ao Topo