Benefícios

Quando termina o Auxílio Emergencial? Entenda

Auxílio emergencial

Com a chegada da sétima parcela desta rodada do auxílio emergencial, muitos se perguntaram “Quando termina o auxílio emergencial?” Essa é uma pergunta que surgiu muitas vezes desde que o benefício começou a ser pago, no segundo trimestre de 2020. E, apesar de ter sido renovado algumas vezes de lá para cá, sempre há dúvidas a sobre sua duração.

A prorrogação mais recente foi anunciada no dia 5 de julho de 2021, quando o Governo declarou o pagamento de mais três parcelas, que devem beneficiar quase 40 milhões de brasileiros.

E você? Tem sobre até quando vai o Auxílio Emergencial? Continue a leitura e confira mais detalhes sobre o assunto.

Até quando vai o Auxílio Emergencial?

É difícil definir o prazo final do pagamento do Auxílio Emergencial. Isso porque o benefício foi criado pelo Governo como uma tentativa de amenizar os impactos da crise gerada pela pandemia no bolso dos brasileiros, mas os efeitos da doença continuam atingindo a população, inclusive financeiramente.

Até agora, o que se sabe é que as três novas parcelas serão pagas até outubro. Porém, se houver necessidade, o Auxílio Emergencial poderá ser prorrogado até o fim do ano. Isso vai depender de como ficará a situação da pandemia e da economia do país até lá.

Quando os beneficiários vão receber a primeira parcela da extensão?

Como a renovação do auxílio foi feita em julho, a primeira parcela começou a ser paga em agosto. Os créditos ficam disponíveis a partir do dia 15 de cada mês, seguindo o cronograma adotado desde 2020.

Caso você receba o Auxílio Emergencial, acesse o site da Caixa Econômica Federal para saber mais sobre as datas.

Qual é o valor do Auxílio Emergencial?

Mesmo não tendo certeza de até quando vai o Auxílio Emergencial, já sabemos do valor, que continuará sendo o mesmo definido a partir da primeira renovação de 2021.

Trabalhadores informais, pessoas que moram sozinhas ou não têm dependentes recebem R$ 150 por parcela. Mães solteiras e que são a única fonte de renda de suas famílias, recebem R$ 375 por mês. Já aqueles que têm famílias com mais de uma fonte de renda recebem até R$ 250.

Como posso pedir o Auxílio Emergencial?

Nem todas as regras sobre o Auxílio Emergencial são iguais às do último ano. Por isso, algumas pessoas que receberam o benefício em 2020 podem não ter mais direito ao valor agora.

Para saber se vai receber as parcelas dessa extensão, você pode:

  • Ligar para o telefone 111, da Caixa Econômica Federal;
  • Acessar o site do Auxílio Emergencial e inserir seus dados;
  • Acessar o site da Dataprev, responsável por processar os cadastros desse benefício, e informar os dados requeridos.

Mais de uma pessoa da mesma família pode receber o Auxílio Emergencial?

Desde o início de 2021, ficou acordado que apenas um membro de cada família pode receber o Auxílio Emergencial. As regras para a escolha do beneficiário são:

  • Mulher provedora de uma família monoparental é prioritária;
  • Em casos de mais de um parente, a pessoa mais velha recebe o benefício;
  • Caso exista mais de uma pessoa com a mesma idade, prioriza-se uma pessoa do sexo feminino;
  • Caso ainda assim houver empate, o beneficiário é escolhido pela ordem alfabética do primeiro nome.

Quais são os requisitos para receber o Auxílio Emergencial?

Além de já estar cadastrado desde 2020, é preciso seguir algumas regras para receber o Auxílio Emergencial. Veja, abaixo, algumas delas:

  • Ter mais de 18 anos ou ser mãe adolescente (entre 12 e 17 anos) com pelo menos um filho;
  • Não ter carteira assinada;
  • Não receber nenhum outro benefício (como aposentadoria ou seguro-desemprego), exceto Bolsa Família ou abono salarial do PIS/Pasep;
  • Renda familiar mensal de até meio salário mínimo por pessoa, sem poder somar mais de três salários mínimos no total;
  • Ser residente do Brasil;
  • Ter recebido menos de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis em 2019;
  • Não ter um patrimônio maior do que R$ 300 mil até o fim de 2019;
  • Não estar em regime fechado ou recebendo auxílio-reclusão;
  • Não ter o CPF vinculado à concessão de pensão por morte de qualquer natureza;
  • Não ser estagiário, residente multiprofissional, residente médico ou beneficiário de bolsas de estudo.

É importante dizer que, assim como não há certeza de até quando vai o Auxílio Emergencial, também não há certeza de que essas regras permanecerão. Por isso, fique sempre de olho nas atualizações do programa.

Sou beneficiário do Bolsa Família. Posso receber o Auxílio Emergencial?

Sim. Desde que o valor do Bolsa Família seja menor do que a parcela do Auxílio Emergencial, beneficiários do programa podem receber o auxílio.

Como não sabemos até quando vai o Auxílio Emergencial, é importante manter seu cadastro atualizado no Bolsa Família.

Meu CPF está suspenso. Preciso regularizar para receber o Auxílio Emergencial?

Sim. Os beneficiários do Bolsa Família usam o Número de Inscrição Social (NIS) para sacar o Auxílio Emergencial, mas todos os outros contribuintes precisam usar o CPF. E, para isso, precisam estar com a documentação regularizada.

Há diversos problemas que causam a suspensão de um CPF, então é preciso conferir suas informações nos sites do Governo. Se este for seu caso, a regularização pode ser pedida em agências da Caixa e Banco do Brasil ou nos Correios. Também há oportunidade de regularizar seus documentos pelo site da Receita Federal.

Como posso usar o Auxílio Emergencial?

O Auxílio Emergencial pode ser utilizado como for melhor para você e sua família. Antes mesmo de fazer o saque, é possível pagar contas de luz, água e gás pelo site ou aplicativo da Caixa Econômica Federal.

Ao receber este benefício, dê prioridade para o pagamento de contas de consumo e aquelas mais urgentes, como o aluguel, por exemplo.

Se todas as despesas estiverem pagas, a melhor opção é guardar esse dinheiro em uma reserva de emergência e se preparar para imprevistos ou momentos de mais dificuldade, afinal, os efeitos da crise ainda poderão ser sentidos por mais algum tempo.

Voltar ao Topo