Petróleo

Produção global de biocombustíveis a subir em 2021 e 2022

A AIE espera que a produção global de biocombustíveis volte a níveis recordes vistos em 2019 este ano, depois de cair pela primeira vez em vinte anos em 2020, por causa das restrições de viagem relacionadas ao Covid-19.

A AIE disse que a produção global de biocombustíveis este ano deve voltar aos níveis registrados em 2019, em 162,8 bilhões de l (143mn t), mas alertou que a recuperação será desigual.

A produção de etanol deve permanecer 3,6pc abaixo dos volumes de 2019, em grande parte devido a uma recuperação mais lenta nos EUA e no Brasil, disse a AIE. Estima que a produção nos dois países para 2021 seja menor em 8pc e 5pc a partir de 2019, respectivamente, e disse que a produção de etanol no Brasil deve voltar aos níveis de 2019 até 2022.

Esses declínios serão parcialmente compensados pelos ganhos na Índia, que já anunciou uma meta de mistura de etanol de 7pc em 2021, um aumento de 2,5 pontos percentuais em relação a 2019, segundo a AIE.

Os efeitos contínuos da crise do Covid-19, bem como os custos mais altos de matérias-primas e biocombustíveis atrasaram a implantação de políticas para impulsionar a produção de biocombustíveis em vários países, incluindo Indonésia, Malásia, Tailândia e Brasil, disse a AIE.

A AIE espera que a produção de biodiesel, incluindo o HVO, seja 10pc maior em 2021 do que em 2019, na contramão de expansões significativas de capacidade.

Espera-se que a capacidade do HVO cresça 50pc em 2021 a partir de 2020, se novos projetos forem construídos dentro do prazo, disse a AIE.

O cão de guarda espera que a capacidade de HVO quase dobre nos próximos dois anos, ampliando significativamente a capacidade de produção de biocombustíveis a partir de resíduos e matérias-primas de resíduos, com o produto definido para responder por 11pc da previsão de produção global de biocombustíveis em 2022, em plena capacidade de produção.

As políticas dos EUA estão por trás de 85pc de adições de capacidade hvo globalmente, como o padrão de combustível renovável, o padrão de combustível de baixo carbono da Califórnia e um crédito de liquidificador de biodiesel tornam os projetos HVO economicamente atraentes, disse a AIE. Fora dos EUA, novos projetos aumentarão a capacidade em 12pc em 2022 na Europa e em 32pc na região Ásia-Pacífico, em comparação com 2020.

A agência também espera que a produção de biocombustíveis aumente 7pc em relação ao ano de 2022, à medida que a produção de óleo vegetal hidrotratado (HVO) aumenta globalmente e a produção de etanol aumenta na Índia.

A AIE disse anteriormente que espera que a produção global de biocombustíveis aumente em mais de 25pc até 2026, em comparação com 2019.

Olhando para a demanda, a AIE estimou que o consumo total de biocombustíveis em 2020 diminuiu 8pc no ano para 150 bilhões de litros (132mn t) devido ao impacto da pandemia Covid-19, mas foi maior em comparação com as previsões anteriores de 144 bilhões de l (127mn t) para o ano.

“As maiores quedas na produção anual foram na produção brasileira e norte-americana de etanol e na produção de biodiesel na Europa”, disse a AIE. A menor produção nesses mercados foi responsável por 90% do declínio da produção global de biocombustíveis em 2020, disse ele.

Voltar ao Topo