Economia

Preços ao consumidor no Brasil aumentaram 1,06% em abril e 12,13% em doze meses

Os preços ao consumidor no Brasil aumentaram 1,06% em relação a março, o aumento mais rápido para o mês de abril desde 1996, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, ou IBGE, nesta quarta-feira. Os preços subiram 12,13% em relação ao ano anterior, o ritmo mais rápido desde 2003. Em março, os preços subiram 1,62% em relação a fevereiro e aumentaram 11,30% em relação ao ano anterior. Mais uma vez a alimentação e o transporte tiveram um impulso decisivo.

O banco central do Brasil vem aumentando o custo dos empréstimos desde o início do ano passado, na tentativa de desacelerar os aumentos dos preços ao consumidor. O banco elevou sua taxa básica de juros Selic em 1 ponto percentual para 12,75% em sua reunião de política na semana passada e disse que espera aumentá-la novamente em sua próxima reunião, em junho, mas em um valor menor.

Um problema que o banco central enfrenta é que as principais fontes de pressão inflacionária, preços de combustíveis e commodities, estão no exterior e, em sua maioria, estão fora da influência da política monetária no Brasil. A gigante do petróleo Petrobras, no início desta semana, elevou o preço do óleo diesel em 9%, pressionando o relatório de inflação de maio.

Os preços dos alimentos aumentaram 2,06% em abril, após alta de 2,42% em março, enquanto os preços dos transportes, incluindo combustíveis, subiram 1,91% no mês passado, após alta de 3,02% em março.

A inflação, mais os preços dos alimentos e dos combustíveis estão tendo um papel crucial este ano no Brasil, já que as eleições presidenciais de outubro estão marcadas com o presidente Jair Bolsonaro concorrendo à reeleição enquanto o candidato da oposição, o ex-presidente Lula da Silva lidera nas pesquisas de opinião.

Voltar ao Topo