Notícias

Petróleo fica perto de US$ 85/bbl

Os preços do petróleo se estabilizaram perto de máximas de 2 meses nesta quinta-feira, com o petróleo Brent sendo negociado perto de 85 dólares por barril, impulsionado pelas expectativas de que uma forte recuperação econômica impulsionará a demanda, mas o aumento dos estoques dos EUA e a alta inflação limitaram os ganhos.

Os futuros de petróleo Brent ganharam 15 centavos, ou 0,2%, para US$ 84,82 por barril, às 1024 GMT.

Os contratos futuros de petróleo bruto do West Texas Intermediate (WTI) subiram 3 centavos, para US$ 82,67 por barril.

“Os principais fatores que impulsionam os preços são… o sentimento geralmente positivo do mercado à medida que as preocupações da Omicron diminuem e a expectativa de um desenvolvimento econômico dinâmico contínuo”, disse o Commerzbank.

Os preços do petróleo subiram mais de 50% em 2021 e alguns analistas esperam que essa tendência continue este ano, prevendo que a falta de capacidade de produção e o investimento limitado podem elevar o petróleo para US$ 90 ou mesmo acima de US$ 100 o barril.

O clima frio na América do Norte também apoiou os preços.

“Será interessante ver se o otimismo é mantido quando as temperaturas começarem a subir na primavera”, disse o analista da PVM Oil Tamas Varga.

Outros ganhos de preços foram moderados pelo aumento dos estoques de combustível dos EUA na semana passada e pela alta inflação na maior economia do mundo.

Dados da Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA) na quarta-feira mostraram que a demanda de combustível foi afetada pela Omicron, com os estoques de gasolina aumentando em 8 milhões de barris na semana até 7 de janeiro, em comparação com as expectativas dos analistas de um aumento de 2,4 milhões de barris.

“Na realidade, o relatório semanal da EIA foi menos otimista do que o número da manchete, já que os estoques totais de petróleo bruto caíram 4,8 milhões de barris, mas foram mais do que compensados ​​por um aumento de estoque em produtos refinados”, disse o Citi em nota.

A queda nos estoques de petróleo “pode ​​estar relacionada a questões fiscais de final de ano sobre estoques de petróleo em terra no Texas e na Louisiana”, acrescentou o banco.

A oferta dos EUA deve aumentar à medida que os produtores estão abrindo caminho para uma produção mais rápida, expandindo a conclusão de poços no principal campo de petróleo de xisto do país, a Bacia Permiana, no oeste do Texas e no Novo México, segundo dados da pesquisa.

Separadamente, as preocupações com a inflação pressionando o Federal Reserve para acelerar o cronograma para iniciar os aumentos das taxas de juros estão pesando nos mercados.

Voltar ao Topo