Offshore

Petrobras vai adquirir unidade FPSO P-71 para desenvolver campo de Itapu

A petrolífera estatal brasileira Petróleo Brasileiro (Petrobras) concordou em comprar o navio P-71 Floating Production Storage and Offloading (FPSO) por $ 353 milhões, e usá-lo para o desenvolvimento do campo de Itapu.

O FPSO seria utilizado no campo de Tupi, anteriormente conhecido como Lula, que fica no bloco BM-S-11. O campo está situado na Bacia de Santos, a 250km da costa do Rio de Janeiro, Brasil.

O Consórcio BM-S-11 é operado pela Petrobras com 65% de participação e outros parceiros incluem a Shell Brasil Petróleo (25%) e a Petrogal Brasil (10%).

Em nota, a Petrobras afirmou: “Após o leilão de cessão de direitos excedentes ocorrido em novembro de 2019, os direitos de produção do campo de Itapu passaram a ser integralmente detidos pela Petrobras e a alocação do FPSO P-71 no campo permitirá a antecipação de seu primeiro óleo em cerca de um ano. ”

A plataforma P-71 está em fase final de construção

A plataforma P-71 de 150 mil barris / d, que está em fase final de construção no Estaleiro Jurong, no Espírito Santo, será alocada no campo de Itapu.

O consórcio planeja fazer um plano de desenvolvimento revisado para o campo de Tupi e submetê-lo à agência reguladora de petróleo e gás do Brasil ANP em 2021.

A empresa afirmou em comunicado: “Esta iniciativa visa implementar projetos complementares de desenvolvimento da produção resilientes aos baixos preços do petróleo, permitindo aumentar ainda mais o fator de recuperação do campo, que hoje é o maior produtor mundial em águas profundas e cuja produção acumulada já foi ultrapassou 2 bilhões de boe. ”

A aquisição da plataforma P-71 faz parte da estratégia da empresa de focar em suas atividades em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas.

Em setembro, a Petrobras disse que planeja gastar US $ 6 bilhões para desativar 18 plataformas offshore, gasodutos submarinos e poços offshore.

Voltar ao Topo