Offshore

Petrobras reinaugenta licitação para campos petrolíferos da Golfinho

A estatal petrolífera brasileira Petrobras reabriu a licitação para o seu cluster de campos petrolíferos no litoral de Golfinho, disseram duas fontes à Reuters nesta semana, após um aumento nos preços do petróleo nos últimos meses.

Golfinho é uma das dezenas de ativos de produção legados que a Petroleo Brasileiro SA (PETR4.SA),como a empresa é formalmente conhecida, está vendendo para reduzir a dívida e aguçar seu foco em uma formação prolífica e em águas profundas chamada “pré-sal”.

A estratégia de desinvestimento ficou em dúvida depois que o ex-chefe do Executivo Roberto Castello Branco foi substituído em abril por Joaquim Silva e Luna, general aposentado do exército. Luna indicou que pretende seguir aspectos da atual estratégia da Petrobras, mas revelou pouco sobre possíveis mudanças. leia mais

Ainda assim, houve poucos relatos de atrasos de potenciais compradores de ativos da Petrobras. Na sexta-feira, a empresa anunciou que estava avançando com a venda de duas grandes unidades de gasodutos.

A Petrobras já havia entrado em negociações bilaterais com a DBO Energy, empresa local de petróleo e gás fundada por executivos noruegueses e brasileiros, para vender a Golfinho, após a DBO apresentar a maior oferta em rodada de licitação aberta, informou a Reuters em janeiro.

Essas conversas não resultaram em um acordo final, e a Petrobras aceitará uma nova rodada de ofertas das partes interessadas no final de maio, disseram as fontes, pedindo anonimato para discutir assuntos confidenciais.

A DBO provavelmente fará outra oferta e a Norueguesa BW Energy Ltd (BWEE). OL) também está na caçada, disseram as fontes. A empresa de private equity Seacrest Capital, focada no setor, manifestou interesse pelo Golfinho nas rodadas passadas, embora seu status na última rodada não tenha sido claro, acrescentaram as fontes.

Petrobras e DBO se recusaram a comentar. BW e Seacrest não responderam aos pedidos de comentários.

Na nova rodada de licitações, a Petrobras está divulgando informações de produção anteriormente indisponíveis de um poço perfurado em 2020, disseram as fontes.

O cluster produzia 14.900 barris de petróleo e condensado por dia, de acordo com documentos de licitação de 2020, embora a produção esteja em declínio.

Voltar ao Topo