Economia

Déficit em conta corrente do Brasil 0,65% do PIB, menor em 13 anos

O déficit em conta corrente do Brasil no ano até janeiro, como proporção da economia em geral, encolheu ao menor em 13 anos, dados oficiais mostraram nesta quarta-feira, graças principalmente à queda nos déficits de renda primária e serviços.

O déficit em conta corrente de 0,65% do produto interno bruto nos 12 meses até janeiro caiu de 0,87% no mês anterior e o menor desde fevereiro de 2008, mostraram dados do banco central.

O Brasil registrou déficit em conta corrente de US $ 7,25 bilhões em janeiro, o segundo déficit consecutivo e um pouco menos do que o déficit de US $ 7,75 bilhões previsto em pesquisa da Reuters com economistas.

Foi significativamente menor do que o déficit de US $ 10,3 bilhões registrado no mesmo mês do ano passado, já que o déficit comercial encolheu de US $ 2,5 bilhões para US $ 1,9 bilhão. O déficit de serviços encolheu quase 60%, para US $ 1,0 bilhão, o menor em 12 anos.

O investimento estrangeiro direto em janeiro totalizou US $ 1,8 bilhão, disse o banco central, menos do que os US $ 2,8 bilhões previstos em uma pesquisa da Reuters.

Com base em dados parciais de fevereiro até agora, o banco central espera que o IED totalize US $ 6,5 bilhões neste mês e um déficit em conta corrente de US $ 2,3 bilhões neste mês.

Os investimentos líquidos em carteira no Brasil totalizaram US $ 6,2 bilhões em janeiro, o oitavo mês consecutivo de ingressos, disse o banco central. Desse total, US $ 4,7 bilhões foram para ações e US $ 1,5 bilhão para títulos de dívida.

Voltar ao Topo