Petróleo

Petrobras vai perder prazo de dezembro para vendas de refinaria

petrobras

A estatal brasileira Petrobras perderá o prazo de dezembro para chegar a acordos de vendas para oito de suas refinarias, principalmente porque as ofertas para três delas eram muito baixas, disse o presidente-executivo Joaquim Silva e Luna a uma comissão do Senado hoje.

Convocada pela comissão de assuntos econômicos para lidar com o aumento dos preços dos combustíveis, Silva e Luna desviou a culpa do quadro de paridade de importação da empresa que vincula os preços locais aos internacionais. A audiência está ocorrendo enquanto os legisladores consideram uma proposta de fundo de estabilização dos preços dos combustíveis que poderia ser financiado por um novo imposto sobre as exportações de petróleo. sim

As vendas das refinarias da Petrobras foram inicialmente atrasadas pela pandemia Covid-19, mas mais recentemente se envolveram na política de preços de combustível. A Petrobras defendeu o ambicioso plano de vender cerca de metade de seus 2,2 milhões de barris / dia de capacidade como a única forma de injetar mais concorrência em um mercado downstream que dominou por anos.

Em 2019, o Cade e a Petrobras chegaram a um acordo que obriga a firma a assinar acordos de venda de oito refinarias até o final de 2020 e fechar todos os acordos até 2021. Já revisado várias vezes, o prazo para o final de 2022 deve ser anunciado até o final do ano.

Silva e Luna disse que a Petrobras arquivou os processos de vendas para a refinaria 208.000 b / d Alberto Pasqualini (REFAP), a refinaria 208.000 b / d Presidente Getulio Vargas (REPAR) e a refinaria 130.000 b / d Abreu e Lima (RNEST) porque as ofertas foram considerado muito baixo. A empresa ainda não anunciou uma nova estratégia para vender as unidades e já disse que poderia retê-las.

A empresa até agora só assinou acordos de vendas para três refinarias, o mais recente um acordo de US $ 33 milhões com o banco canadense Forbes & Manhattan para a instalação de 6.000 b / d SIX. Em agosto, a Petrobras assinou um contrato de compra e venda de US $ 189,5 milhões com a distribuidora de combustível brasileira Atem para a refinaria Isaac Sabba de 46.000 b / d (REMAN). Esse negócio segue um acordo de venda de US $ 1,65 bilhão com o fundo de investimento estatal de Abu Dhabi, Mubadala, para a refinaria Landulpho Alves de 333.000 b / d (RLAM). Nenhum dos negócios foi fechado.

Voltar ao Topo