Offshore

Petrobras encomenda US $ 2,3 bilhões de FPSO da Saipem e da Coreia do DSME

A Petrobras fechou contrato com a joint venture formada pela Saipem e DSME no valor de US $ 2,3 bilhões para o fornecimento da P-79, oitava unidade a ser instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos área.

Com capacidade para processar 180 mil barris de óleo por dia e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás por dia, a plataforma é do tipo FPSO, unidade flutuante que produz, armazena e transfere óleo. A entrega está prevista para 2025, informou a Petrobras na sexta-feira.

O fornecimento do FPSO será resultado da modalidade de contratação EPC (engenharia, suprimento e construção) e da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos para plataformas próprias, incorporando as lições aprendidas com os FPSOs já instalados no pré-sal, incluindo contratação e aspectos de construção.

O projeto prevê a interligação de 14 poços ao FPSO, sendo 8 produtores e 6 injetores, por meio de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção e dutos de serviços flexíveis.

Em comunicado à parte na sexta-feira, a italiana Saipem confirmou a concessão do contrato, acrescentando que sua parcela vale aproximadamente US $ 1,3 bilhão.

O campo de Búzios, descoberto em 2010, é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo. Deve chegar ao final da década com produção diária acima de 2 milhões de barris de óleo equivalente por dia, tornando-se o ativo da Petrobras com maior produção.

Atualmente, são quatro unidades operando em Búzios, que respondem por mais de 20 por cento da produção total da Petrobras. A quinta, sexta e sétima plataformas previstas para o campo (FPSOs Almirante Barroso, Almirante Tamandaré e P-78) estão em construção e a nona unidade (P-80) está em processo de contratação.

A saber, a Petrobras assinou, em fevereiro de 2021, carta de intenções com a SBM Offshore para afretamento e prestação de serviços do FPSO Almirante Tamandaré .

O contrato para construir o P-78 FPSO foi concedido à Keppel em maio de 2021.

Além disso, a Petrobras deu início à licitação do FPSO P-80 , nona unidade a operar no campo de Búzios, no início de maio. Assim como o FPSO Almirante Tamandaré, a P-80 será a maior unidade de produção de petróleo em operação no Brasil e uma das maiores do mundo.

Voltar ao Topo