Petróleo

Petrobras corta plano de gastos com redução dos preços do petróleo

 A petrolífera estatal brasileira Petróleo Brasileiro SA cortou seu plano de investimento de cinco anos em 27% em relação ao ano anterior, para US $ 55 bilhões para preservar o caixa, à medida que a pandemia de coronavírus derrubou a demanda global de petróleo e os preços.

Em um arquivamento na quinta-feira, a Petrobras, como é conhecida a empresa do Rio de Janeiro, disse que vai se concentrar nos prolíficos campos de petróleo em águas profundas na chamada área do pré-sal no Oceano Atlântico, uma vez que vende ativos não essenciais para reduzir a dívida.

A Petrobras disse que planeja investir US $ 46 bilhões, ou 84% do total dos investimentos, em exploração e produção. Isso se compara a US $ 64 bilhões um ano atrás. A empresa disse que limitará a aprovação de gastos a novos projetos que possam ser lucrativos com os preços do petróleo a partir de US $ 35 o barril.

A redução estava de acordo com um pedido de 14 de setembro em que a Petrobras disse que limitaria os gastos com exploração e produção de US $ 40 bilhões a US $ 50 bilhões, já que o coronavírus espalhou a demanda e os preços esmagados.

Antes da pandemia, em novembro de 2019, a Petrobras disse que iria investir US $ 75,7 bilhões entre 2021 e 2024.

O corte de gastos reduzirá a produção diária da Petrobras para cerca de 2,75 milhões de barris de óleo equivalente (boe) em 2021, disse, de uma produção esperada de 2,84 milhões de barris por dia em 2020.

No entanto, a produção de petróleo e gás natural deve subir para 3,3 milhões de boe por dia até 2024 e se manter estável em 2025, disse a empresa.

A Petrobras estabeleceu sua meta de dívida bruta em US $ 67 bilhões para 2021 e confirmou seus planos de reduzir a dívida para US $ 60 bilhões em 2022.

A empresa anunciou planos para reduzir as emissões totais de gases de efeito estufa de suas operações em 25% até 2030. 

Voltar ao Topo