Óleo e Gás

Petrobras contrata sonda Ocyan em contrato de dois anos

A prestadora de serviços de petróleo e gás do Brasil, Ocyan, anteriormente conhecida como Odebrecht Oil & Gas, foi premiada com um contrato para a sonda Norbe VI pela Petrobras.

Ocyan disse em um comunicado na segunda-feira que a sonda Norbe VI foi recontratada pela Petrobras por um período de dois anos.

Segundo a Reuters , este é o primeiro acordo a ser assinado entre as duas empresas desde o escândalo de suborno envolvendo a Petrobras e uma série de provedores de serviços que eclodiram há cinco anos.

A Norbe VI é uma plataforma de perfuração semi-submersa com posicionamento dinâmico capaz de operar em profundidades de água de até 2.400 metros e perfurar poços de até 7.500 metros. A sonda foi construída em 2010 e estava sob contrato com a Petrobras até 2018.

A Bassoe Offshore estima que, de acordo com o contrato com a Petrobras, a Norbe VI terá uma tarifa de US $ 150.000. A data de início do contrato está marcada para 10 de dezembro de 2019.

Após o contrato com a Petrobras, Ocyan observou que todas as suas plataformas agora têm contratos ativos.

“A assinatura deste contrato com a Petrobras mostra que estamos no caminho certo, pois mantivemos a Norbe VI preservada todo esse tempo para o retorno ao mercado, o que ocorreu dentro da meta estabelecida. Sinaliza que superamos todos os desafios e comprovamos nossa competência e excelência operacional ”, disse Heitor Gioppo , diretor superintendente da unidade de perfuração de Ocyan.

A sonda foi uma das classificadas pela Petrobras na licitação para a contratação de equipamentos capazes de operar em 2.000 metros de lâmina d’água em águas brasileiras delimitadas por coordenadas geográficas conforme Contratos de Concessão, Contratos de Cessão ou Convênios de Partilha de Produção.

A Norbe VI foi aquecida por dez meses no estaleiro Enseada Indústria Naval, em Maragogipe, na Bahia. Lá, a sonda passou pelas diversas etapas do projeto de preservação integrada, visando manter seus equipamentos e sistemas, ou seja, mantendo a integridade da unidade para futuros projetos de intervenção em poços.

Em meados de agosto, a sonda chegará ao Rio de Janeiro, na Baía de Guanabara, e passará por uma nova fase de manutenção e adaptação para atender aos requisitos deste novo contrato.

“Vamos trazer a sonda para o Rio de Janeiro para os ajustes finais. Nossa previsão é começar a trabalhar no último trimestre de 2019 ”, explica o executivo.

Marcos Sampaio , gerente da plataforma, disse: “Cerca de 150 pessoas trabalham em uma plataforma. A tripulação da sonda está preparada e motivada para o novo contrato. ”

A sonda semi-submersível já foi contratada pela Petrobras e operou no período de 2011 a meados de 2018.

Voltar ao Topo