Petróleo

Petrobras apara produção de petróleo com baixa demanda

A gigante brasileira de petróleo e gás Petrobras juntou-se a numerosas operadoras de petróleo e gás em ações para reduzir custos em meio ao ambiente de baixo preço do petróleo e pandemia de coronavírus. A Petrobras também decidiu diminuir sua produção de petróleo.

A Petrobras informou nesta quarta-feira que, devido à contração da demanda de petróleo e derivados, decidiu adotar novas medidas que incluem redução da produção de petróleo, adiamento de desembolso de caixa e redução de custos.

Em 1º de abril de 2020, a Petrobras reduziu sua produção de petróleo em 200.000 barris por dia, um volume que inclui a redução anunciada pela Petrobras no final de março, quando a empresa disse que reduziria um total de 100 mil bpd de sua produção de petróleo até o final março, devido ao excesso de oferta deste produto no mercado externo e à redução da demanda global por petróleo causada pelo efeito do COVID-19.

Para a definição dos campos que terão sua produção reduzida, a Petrobras levará em consideração o mercado e as condições operacionais. A duração da restrição, bem como possíveis aumentos ou diminuições, será avaliada continuamente.

A empresa também está ajustando o processamento de petróleo em suas refinarias, alinhado à demanda de derivados.

Como parte das ações para alcançar a redução já anunciada em US $ 2 bilhões em 2020 das despesas operacionais, houve decisões adicionais para economizar cerca de R $ 700 milhões (US $ 134,5 milhões) em despesas com pessoal.

Isso inclui o adiamento do pagamento, entre 10% a 30%, da remuneração mensal de outros funcionários com posição gerencial (gerentes, coordenadores, consultores e supervisores); mudança temporária de turno e turno de plantão para trabalho administrativo de cerca de 3.200 funcionários; e redução temporária do horário de trabalho, de 8 horas para 6 horas, de cerca de 21.000 funcionários.

A Transpetro, subsidiária da Petrobras, também aprovou um plano de resiliência, que compreende medidas para reduzir sua estrutura de custos, tanto para despesas operacionais quanto para investimentos, adiando ou otimizando desembolsos, no valor de R $ 507 milhões (US $ 97,5 milhões) em 2020.

Voltar ao Topo