Notícias

Petrobras busca alta de preços apesar da pressão política

Combustíveis petrobras

A estatal brasileira de petróleo Petrobras está considerando aumentar os preços dos combustíveis, já que os preços de alguns derivados de petróleo estão desalinhados com o mercado global, disse o diretor de vendas e logística, Claudio Mastella. Segunda-feira.

Duas pessoas próximas à empresa disseram à Reuters que o presidente-executivo da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, esteve em Brasília no domingo para discutir com funcionários do governo como amortecer o golpe de alta dos preços, incluindo possíveis subsídios do governo.

Os preços dos combustíveis têm sido uma questão explosiva no Brasil. Os CEOs da Petróleo Brasileiro SA, como a empresa é formalmente conhecida, foram recentemente forçados a sair por causa de aumentos de preços. Os acionistas da Petrobras continuam cautelosos com os controles de preços, levando o governo a buscar outros esquemas para amenizar o golpe aos consumidores.

Mastella disse que os ajustes seriam feitos dentro da política de preços existente da empresa, que permanece inalterada.

Os preços do petróleo têm subido continuamente por semanas, com os preços do petróleo Brent em quase US $ 80, o maior desde outubro de 2018.

Mas o preço do diesel brasileiro ficou 14% abaixo do mercado global, enquanto a gasolina está 10% mais baixa no Brasil com base nos dados de sexta-feira, disse a Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis.

A Petrobras ajustou os preços do diesel pela última vez em julho e os preços da gasolina em agosto.

“Estamos olhando com mais cuidado, com cautela, um possível reajuste”, disse Mastella.

O presidente Jair Bolsonaro e os líderes do Congresso têm insistido que algo deve ser feito para amenizar o impacto dos preços dos combustíveis que contribuem para a inflação de dois dígitos no Brasil.

Bolsonaro disse na segunda-feira que conversou com o ministro de Minas e Energia sobre como reduzir os preços dos combustíveis, sem dar detalhes.

O CEO da Petrobras, Luna, conversou com o Ministério de Minas e Energia e com líderes do Congresso sobre as possíveis maneiras de diminuir o impacto dos preços altos sobre os consumidores, sem alterar a política de preços da empresa, disseram duas pessoas próximas à Reuters sob condição de anonimato.

O Ministério de Minas e Energia do Brasil e a Petrobras não responderam imediatamente ao pedido de comentários sobre essas negociações.

Uma possibilidade em discussão seria usar os recursos do governo do desenvolvimento do petróleo offshore do pré-sal para subsidiar os preços dos combustíveis, disseram as fontes.

Isso exigiria a aprovação do Congresso, pois o fundo do pré-sal já está destinado à educação, saúde e outros programas.

“Faz sentido adotar um mecanismo de subsídio de preços que use dinheiro da própria exploração e produção de petróleo e gás – fundos que crescem quando os preços do mercado global estão altos”, disse uma das fontes.

Voltar ao Topo