Economia

Perspectivas de crescimento do agronegócio no Brasil em 2021 apesar da pandemia

Um aumento igual a 2,06% do agroalimentar em dezembro de 2020, PIB do setor ao final do ano de R $ 2 bilhões em um total de R $ 7,45 bilhões. Esses são os números do agronegócio brasileiro que, apesar da propagação da pandemia e do consequente impacto na economia brasileira, encerrou 2020 mantendo suas atividades, alcançando bons desempenhos e apresentando significativo potencial de crescimento para 2021.

Nesse contexto, o Ministério da A Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) completou 160 anos com um novo desafio: promover medidas para garantir o abastecimento de alimentos e manter operacionais os serviços essenciais, como a fiscalização sanitária, além de reduzir os impactos da crise na renda dos produtores rurais, em especial pequenos e médios.

O Mapa constituiu então o Comitê CC-Agro-Covid19, formado por 14 membros das secretarias ministeriais, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O principal objetivo do CC-Agro-Covid19, ainda ativo, é monitorar e propor estratégias para superar os efeitos da pandemia na produção e abastecimento agrícola.

“Esta é uma grande oportunidade para as empresas italianas que têm ofertas tecnológicas interessantes para a cadeia do agronegócio, por exemplo, máquinas agrícolas, tecnologias para a agricultura 4.0 e, em geral, soluções que ajudem a melhorar os processos de beneficiamento da terra e também os processos industriais, por exemplo na área de refrigeração, eficiência energética, eficiência no uso de matéria-prima ”, comentou o advogado Giacomo Guarnera, sócio-fundador do Guarnera Advogados. “Apesar da complexidade do período atual, setores como a agroalimentar resistem no país e continuam sendo atrativos para as empresas italianas”.

Considerado o maior produtor mundial de café e suco de laranja, o segundo maior produtor de açúcar, soja em grãos, carne bovina e de frango e o terceiro maior na produção de milho, o Brasil não foi inferior na época do Coronavírus. como ilustra o gráfico: De acordo com os dados mais recentes do Ministério da Agricultura, o agroalimentar brasileiro exportou 6,47 bilhões de dólares em fevereiro de 2021 (+ 2,8% em relação ao mesmo mês do ano passado).

Além disso, o Brasil é o quarto maior exportador de produtos agrícolas do mundo (atrás da União Européia, Estados Unidos e China). O setor também gera inúmeros empregos, absorvendo praticamente um em cada três trabalhadores brasileiros. De acordo com a mais recente Pesquisa Nacional (PNAD), de um total de 94,4 milhões de trabalhadores entrevistados, 32,3% (ou seja 30,5 milhões) pertenciam ao agronegócio.

Voltar ao Topo