Economia

Perspectivas da taxa de juros do Brasil para 2021 e 2022 disparam após a mudança do banco central

As perspectivas para as taxas de juros do Brasil neste ano e no próximo subiram meio ponto percentual, mostrou uma pesquisa do banco central com economistas publicada na segunda-feira, após o aumento histórico da taxa de juros na semana passada para combater o aumento da inflação.

A taxa Selic de referência do banco central agora deve terminar este ano em 5,50% e no próximo ano em 6,00%, de acordo com a projeção média de mais de 100 economistas da pesquisa semanal ‘FOCUS’ do banco.

O comitê de fixação de taxas do banco central, conhecido como Copom, elevou a taxa Selic em 75 pontos-base na semana passada, para 2,75%, a primeira alta em seis anos. Foi mais do que os economistas esperavam e o maior aumento desde 2010.

As novas previsões da pesquisa ‘FOCUS’ para este ano e no próximo são 100 pontos básicos mais altas do que eram há apenas quatro semanas, mas não sinalizam um aumento na taxa de juros terminal. Isso permanece em 6,00%, a previsão média dos economistas para 2023 há cerca de cinco meses.

A previsão de inflação média para 2021 subiu pela 11ª semana consecutiva, de 4,6% para 4,7%, a pesquisa mostrou, ainda mais acima da meta oficial do banco central de 3,75%, com uma margem de erro de 1,5 ponto percentual em ambos os lados.

A inflação anual ao consumidor está atualmente em 5,2% e espera-se que suba para cerca de 7% em meados deste ano, antes de recuar.

Uma taxa de câmbio persistentemente fraca, preços globais de commodities fortes e preocupações crescentes sobre a posição fiscal do governo estão aumentando as expectativas de inflação.

Voltar ao Topo