Economia

Perspectiva de taxa de juros do Brasil para 2021 sobe para 5,25%, mostra pesquisa

A perspectiva de taxa de juros do Brasil para 2021 subiu para 5,25%, mostrou uma pesquisa do Banco Central de economistas publicada nesta segunda-feira, após comentários repetidos dos formuladores de políticas de que o aperto agressivo agora significa que os custos de empréstimos não terão que subir tanto no final.

A mediana das previsões para a taxa Selic de referência de mais de 100 economistas na pesquisa semanal ‘FOCUS’ do Banco Central passou de 5,00% na semana anterior e de 4,50% há quatro semanas.

O chefe do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse mais de uma vez na semana passada que o aumento da taxa de juros de primeira linha significa que eles não terão que ser aumentados tanto, e que a política de “normalização parcial” do banco significa que a Selic não vai chegar à sua taxa neutra até o próximo ano.

Os números que mostram a inflação acima de 6% em março “corroboram” outro aumento da taxa de juros de 75 pontos-base para 3,50% em maio, uma repetição da primeira elevação da taxa no ciclo de aperto no mês passado, disse ele.

A pesquisa ‘FOCUS’ de segunda-feira também mostrou que a previsão média de inflação de fim de ano dos economistas subiu para 4,9% de 4,8%, ainda mais acima da meta do Banco Central de 3,75%.

A previsão de Selic para 2022 dos economistas ficou inalterada em 6,00%, e a perspectiva para 2023 também ficou inalterada em 6,50%, mostrou a pesquisa.

Com uma segunda onda mortal da pandemia COVID-19 atingindo o país, a perspectiva de crescimento econômico dos economistas para o Brasil em 2021 diminuiu um pouco pela sexta semana consecutiva para 3,1%, de 3,2%. As previsões de fim de ano para a taxa de câmbio também caíram pela terceira semana para 5,37 reais por dólar, de 5,35, mostrou a pesquisa.

Voltar ao Topo