Economia

Perspectiva de inflação do Brasil para 2021 aumenta pela 8ª semana, fechando em 4%

A perspectiva para a inflação brasileira neste ano subiu pela oitava semana consecutiva, atingindo nova alta de 3,9%, mostrou pesquisa do banco central com economistas na segunda-feira, enquanto as perspectivas para o real se deterioravam.

A projeção média para o IPCA de preços ao consumidor no final deste ano subiu de 3,8% há uma semana, de acordo com a última pesquisa semanal “FOCUS” com mais de 100 economistas, subindo ainda mais acima da meta oficial do banco central de 3,75%.

A meta do banco central tem uma margem de erro de 1,5 ponto percentual em ambos os lados.

Uma taxa de câmbio persistentemente fraca, preços globais de commodities fortes e preocupações crescentes sobre a posição fiscal do governo estão aumentando as expectativas de inflação.

A pesquisa FOCUS deve os economistas reduzir sua previsão média para o final de 2021 para o real para 5,10 por dólar, de 5,05 na semana anterior e 5,01 duas semanas atrás.

O banco central entrou na semana passada no mercado de câmbio à vista pela primeira vez este ano, vendendo mais de US $ 3 bilhões em quatro episódios separados de intervenção na quinta e sexta-feira, com o real caindo para uma baixa de quatro meses de 5,60 por dólar.

As expectativas para as taxas de juros médias permaneceram inalteradas, tendo aumentado acentuadamente nas últimas semanas. A taxa básica de juros Selic, atualmente em baixa recorde de 2,00%, deve encerrar este ano em 4,00% e no próximo ano em 5,00%.

Um número crescente de economistas espera que o banco central comece seu ciclo de aperto monetário já no mês que vem, entregando o que seria o primeiro aumento da taxa de juros no Brasil desde 2015.

Voltar ao Topo