Óleo e Gás

Participantes brasileiros do UNIDO-GEF foram treinados para projeto de biogás

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Centro Internacional de Energia Renovável (CIBiogás) treinaram membros e parceiros do Comitê Diretivo de seu projeto GEF Biogás sobre o biogás cadeia de valor no Brasil – fonte renovável de energia produzida a partir da decomposição de resíduos orgânicos gerados por diversos empreendimentos, como fazendas e restaurantes.

“O uso potencial do biogás surge da necessidade de buscar sustentabilidade no agronegócio; Ao mesmo tempo, representa uma oportunidade para o desenvolvimento econômico local ” , disse o Especialista em Gerenciamento de Projetos da UNIDO, Bruno Neves. “Os resíduos orgânicos gerados pela produção agrícola brasileira podem resultar em ganhos econômicos, sociais e ambientais, já que os benefícios da produção de biogás podem ser internalizados pelos produtores e disponibilizados na forma de energia térmica, combustível e eletricidade” .

Representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); o Ministério do Meio Ambiente (MMA); o Ministério de Minas e Energia (MME); o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE); a Empresa de Pesquisa Energética (EPE); a Agência Brasileira de Cooperação (ABC); a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); A Itaipu Binacional e a agência de cooperação alemã (GIZ) participaram do treinamento.

“O principal objetivo do treinamento foi aumentar a conscientização dos ministérios e importantes agentes institucionais sobre a necessidade de flexibilizar as regras de geração de energia renovável” , disse o diretor-presidente da CIBiogas, Rodrigo Regis. “Hoje, o Brasil é muito dependente do diesel e temos uma demanda crescente de energia, que o biogás pode fornecer parcialmente de forma descentralizada, e pode desenvolver uma nova economia para o país, gerando empregos, renda, desenvolvimento e progresso” .

O treinamento incluiu uma visita à hidrelétrica de Itaipu e uma unidade de demonstração apoiada pela CIBiogás: com uma criação de cinco mil suínos, a fazenda é capaz de gerar 770 metros cúbicos de biogás por dia, resultando em economia de mais de US $ 1.000 por mês em custos de energia.

“O desenvolvimento do biogás é uma das prioridades estratégicas do MCTIC” , afirmou Rafael Menezes, Coordenador de Inovação da Secretaria de Empreendedorismo e Inovação do Ministério. “O potencial brasileiro de produção de biogás e biometano é pouco explorado; temos que criar políticas públicas e um ambiente favorável para que possamos cada vez mais explorar esse potencial ” .

O projeto GEF Biogás “Aplicações de Biogás na Agroindústria Brasileira” prevê ações locais e federais para estimular a integração sustentável do biogás na cadeia produtiva nacional. É financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) e visa expandir a produção de energia renovável e fortalecer as cadeias de fornecimento de tecnologia nacional no setor.

Voltar ao Topo